Felipão Japão

Felipão trocou uniformes com Hajime Moriyasu, treinador da seleção japonesa (Agência Palmeiras/Divulgação)

LANCE!
14/06/2019
19:46
São Paulo (SP)

Em preparação para estrear na Copa América, na segunda-feira, contra o Chile, no Morumbi, a seleção japonesa foi a primeira participante do torneio a treinar na Academia de Futebol. E Luiz Felipe Scolari abriu mão do primeiro dos dez dias de folga, já que o Palmeiras não terá partidas oficiais durante a competição sul-americana, para recepcionar os asiáticos.

Felipão trocou camisas com Hajime Moriyasu, treinador do Japão. E toda a delegação asiática foi presenteada com livros sobre o clube e camisas oficiais do Verdão. É a primeira seleção do continente a realizar atividades no centro de treinamento alviverde em toda a história.

O Japão disputa a Copa América como convidado e estreará na segunda-feira, diante do Chile, no Morumbi, em confronto pelo Grupo C. A associação do país decidiu trazer ao Brasil um grupo quase completamente feito de jogadores com idade para disputar a Olimpíada de 2020, quando a nação asiática será sede.

Quem atendeu a imprensa nesta sexta-feira foi o grande astro do grupo: o meia-atacante Takefusa Kubo, de 18 anos. Conhecido como "Messi japonês", ele foi anunciado como reforço do Real Madrid pouco antes de dar entrevista, para jogar no time B do clube espanhol, mas avisou que não falaria do assunto, focando na Copa América.

Em declarações curtas, Kubo mostrou conhecer o torneio, lembrando que tem mais de 100 anos, avisou que sua seleção jogará para ganhar, sem se portar como mero convidado. Esquivou-se das seguidas perguntas a respeito da comparação com Messi, dizendo-se honrado, mas sem estar no nível do argentino e sem querer se comparar com qualquer outro jogador.

Além do Japão, o Palmeiras receberá a Seleção Brasileira para treinamento deste sábado. O grupo comandado por Tite trabalharia na Academia de Futebol ao longo da última semana, mas mudou a programação para se exercitar no Pacaembu. Na semana que vem, será a vez de a Colômbia usar as dependências do líder do Campeonato Brasileiro.