Alexandre Mattos

Alexandre Mattos disse ser difícil provar a interferência por não haver áudio dos árbitros (Foto: Cesar Greco)

LANCE!
19/09/2018
14:59
São Paulo (SP)

Pouco depois de o STJD negar o pedido de impugnação da final do Paulista feito pelo Palmeiras, o diretor de futebol Alexandre Mattos falou sobre o jogo. Sem entrar em detalhes sobre a estratégia jurídica do clube, o homem forte do futebol lamentou por sua equipe não ter segurado a vantagem obtida em Itaquera, mas respondeu não ter dúvidas de que houve interferência externa.

- Todos sabem que teve interferência e que não tem como provar porque não tem o áudio da conversa, a não ser que bata na consciência de alguém. Mas o Palmeiras tem um departamento jurídico que deixou muita gente fora da zona de conforto e aflita. Vamos analisar para ver os próximos passos - respondeu o dirigente, ao Sportv.

- (O resultado do STJD) É um assunto do departamento jurídico, tanto que nenhum atleta nem eu nos posicionamos desde o ocorrido. O que mais me chateou e me deixou com o coração partido é que não tivemos competência de sustentar o resultado em campo - acrescentou.

O STJD, diferentemente do TJD-SP, aceitou analisar o caso e um dos relatores chegou a dizer que tinha "impressão e a suspeita de que houve interferência externa". Mas, por não ter a certeza, votou contra o pedido do Palmeiras - o resultado foi unânime.

O clube tenta comprovar que houve participação de alguém além da equipe de arbitragem para anular o pênalti de Ralf em Dudu, no jogo do dia 8 de abril, no Allianz Parque. O Corinthians venceu a partida no tempo normal por 1 a 0 e confirmou a conquista do Paulista nos pênaltis. Na ida, o Verdão tinha ganhado também por 1 a 0, na casa do arquirrival.

O TJD-SP nem avaliou as provas que o Verdão diz ter da interferência, pois considerou que não foi cumprido o prazo correto para a entrada com o pedido de impugnação do jogo.

O Palmeiras montou um dossiê, com imagens, áudio e texto, e o STJD divergiu do tribunal paulista, argumentando que o clube realizou os trâmites de forma correta, mas não viu provas concretas para mudar o resultado do Estadual. O clube ainda pode tentar levar o assunto para o CAS (Comitê Arbitral do Esporte), na Suíça.