Henrique Dourado Willian Marcos Rocha Palmeiras

Henrique Dourado vê Palmeiras focado dentro de campo, independentemente dos bastidores (Agência Palmeiras)

William Correia
15/10/2019
15:21
São Paulo (SP)

Como vem ocorrendo há cerca de dois meses, a pressão sobre Alexandre Mattos vem crescendo, agora com a revelação de um suposto conflito de interesse no aumento de auxílio-moradia a funcionários da comissão técnica que alugam imóveis pertencentes ao diretor de futebol. Mas Henrique Dourado afirma que nada que atinge os bastidores afeta o Palmeiras dentro de campo.

- Somos blindados. Isso não chega até nós. São coisas que acontecem, mas procuramos sempre focar no nosso trabalho dentro de campo. Isso não tem afetado - afirmou o centroavante, escolhido para dar entrevista coletiva nesta terça-feira, antes do último treinamento para enfrentar a Chapecoense, nesta quarta-feira, no Allianz Parque, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

TABELA
>
Confira a classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

Provavelmente reserva, já que Mano Menezes indicou que Deyverson deve continuar substituindo Luiz Adriano, ainda vetado por lesão na coxa direita, Henrique Dourado comentou que o foco está na busca pelo título. De olho no Flamengo, líder com oito pontos de distância. Mas, na opinião do atacante, o primeiro colocado também fica de olho no Verdão, que está em segundo.

- Vivemos do futebol, é natural. Não olhamos só para o Flamengo, mas no contexto geral. Temos um confronto direto diante do Flamengo, no nosso domínio. Vamos acompanhá-los e, com certeza, nos acompanham, veem quem vamos enfrentar. O Flamengo está fazendo um excelente trabalho e nós também, fazemos um bom trabalho. Vamos buscar o título até o final - prometeu, focado na Chapecoense, dona de 16 pontos em 25 rodadas.

- Vamos analisar a equipe deles. Todos sabemos que, no Brasileiro, você precisa respeitar todos para não ser surpreendido. Eles estão em último, mas não tem jogo fácil. Precisamos de seriedade e atenção redobrada com uma equipe que virá fechada, em busca de contra-ataques. Precisamos de inteligência - receitou, empolgado para cumprir seu contrato até dezembro.

- Esse curto período que tenho aqui me faz querer dar o melhor, desfrutar o dia a dia da melhor maneira possível. Quero viver tudo até o fim do ano, aproveitando as oportunidades. Isso dá um vigor a mais. Sei que, em pouco tempo, tem muita coisa para acontecer.