Mauricio Galiotte e Alexandre Mattos - Palmeiras

Alexandre Mattos é homem de confiança de Maurício Galiotte e faz parte dos planos (Foto: Cesar Greco)

LANCE!
08/10/2018
22:11
São Paulo (SP)

Candidato a reeleição no Palmeiras, Maurício Galiotte diz que fará "todo o esforço" para manter Alexandre Mattos, caso vença a eleição em novembro. O contrato do diretor de futebol vai até dezembro, assim como a atual gestão.

- O Alexandre é um dos principais profissionais do futebol, com conhecimento destacado, um ganhador, comprometido e é nossa ideia, sim (mantê-lo). O contrato termina em dezembro e se for eleito farei todo o meu esforço para renovar - disse Galiotte, à rádio Bandeirantes.
 
​- Gostaria de contar com ele, quanto menos mexermos na estrutura tem mais chance de sucesso. A avaliação do trabalho do Alexandre é muito boa, positiva - completou.

Mattos está no Palmeiras desde 2015 e foi quem comandou a reformulação do departamento de futebol. Durante seu primeiro contrato, na gestão de Paulo Nobre, ganhou a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro. Quando Galiotte assumiu, no fim de 2016, o vínculo foi renovado até dezembro de 2018. O clube foi vice-campeão brasileiro em 2017, mas passou sem títulos.

Embora já tenha sido algumas vezes fortemente criticado por conselheiros, o diretor de futebol goza de grande prestígio com a direção executiva. Ele é quem comanda o departamento e já fez, inclusive, contratações para o próximo ano. O centroavante Arthur Cabral, do Ceará, foi anunciado e o meia Zé Rafael, do Bahia, também deve chegar. Raphael Veiga, emprestado ao Atlético-PR, é certo que será reintegrado a partir da próxima temporada.

Além de Alexandre Mattos, Maurício quer manter também os patrocínios da Crefisa e FAM. As empresas são presididas pela conselheira Leila Pereira, que já prometeu renovar o vínculo automaticamente, caso a atual gestão permaneça. O Verdão recebe pelos patrocínios R$ 78 milhões por ano.

​Na próxima segunda-feira haverá a aprovação das chapas presidenciais no filtro do Conselho Deliberativo. Além de Maurício Galiotte, Genaro Marino, atual primeiro vice e rompido com a diretoria, vai concorrer como oposição, com apoio de Paulo Nobre e conselheiros ligados a Mustafá Contursi.