Judô Brasil

Delegação brasileira se despede de Tóquio só com três medalhas (Foto: COI)

LANCE!
31/07/2021
10:22
Tóquio (JAP)

O Brasil teve a pior participação do país no judô nas Olimpíadas desde os Jogos de Atenas, em 2004. A delegação só conseguiu levar dois bronzes e a idade dos atletas pode ter pesado nos momentos de decisão, já que muitos estão se aproximando do final de suas carreiras. Tiago Camilo, três vezes campeão em Jogos Pan-americanos, esboçou sua preocupação com resultado em Tóquio:

- O Brasil teve um resultado abaixo do esperado. A pandemia prejudicou todos, o mundo estava na mesma situação. Realmente foi um resultado um pouco abaixo do esperado. Tem que melhorar o sistema. Eu não estou muito envolvido com a Confederação Brasileira, mas na minha opinião precisa de uma reformulação no sistema. Eu acho que a gente precisa dar um passo para trás, fazer uma análise do que precisa mudar e traçar, comentou durante a transmissão do SporTV.

Ainda com esperança de um futuro de vitórias para o judô, Camilo espera que isso seja apenas uma fase para o esporte:

- A gente vê outros países tendo bons resultados. Eu sempre uso o exemplo do Japão. O pior resultado deles foi nos Jogos de Londres em 2012. E oito anos depois olha o que eles fizeram. O Inoue, atual head coach do Japão que é campeão olímpico e tri do mundo, deu uma declaração e disse ‘o mundo aprendeu com o Japão, agora está na hora do Japão aprender com o mundo’. Ele pegou a comissão técnica e rodou o mundo analisando e estudando com a equipe multidisciplinar. Agora eles ganharam quase todas as categorias disputadas. - completou.

O Brasil tem bom histórico em Olimpíadas, sendo os melhores no judô por três edições. Foram três bronzes em 2008, um ouro e três bronzes em 2012 e mais dois bronzes e um ouro em 2016.

Os judocas brasileiros só levaram três bronzes em Mundial deste ano, onde nem havia tantos concorrentes de peso, já que alguns atletas estavam se poupando para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Duas das três medalhas vieram no peso pesado feminino. O Brasil ainda poderia inscrever mais de um atleta por categoria. 

Um dos motivos que pode estar pesando é a troca de judocas desta geração. Boa parte das medalhas vinham de atletas como Rafaela Silva, Mayra Aguiar, Maria Suelen, Ketleyn Quadros e Maria Portela.  Que passaram ou estão próximo da casa dos trinta anos. Ainda assim é possível ver alguns jovens se destacando, como é o caso de Daniel Cargnin, de 23 anos, que levou o bronze em Tóquio.

Veja abaixo o quadro de medalhas dos Jogos Olímpicos de Tóquio: