Arthur Zanetti

Ginasta avança nos Jogos Olímpicos de Tóquio (Foto: Reprodução/Instagram)

LANCE!
24/07/2021
05:16
Tóquio (JAP)

A ginástica artística masculina já estreou nos Jogos Olímpicos de Tóquio na madrugada deste sábado (24), e o Brasil começou avançando nas classificatórias individual geral e por aparelhos. O segundo lugar nas argolas foi para o ginasta Arthur Zanetti, que segue na categoria. Já seu colega de equipe, Caio Souza, foi o mais ovacionado no local.

+ Brasil oscila, Douglas entra, time melhora e bate a Tunísia na estreia do vôlei

Isso porque o ginasta conquistou a melhor pontuação brasileira no cavalo, nas barras paralelas, além de garantir o quarto lugar na classificatória do salto. Já Arthur Nory se despede das barras fixas, não conseguindo avançar para as finais do aparelho, tendo um baixo rendimento durante todas as apresentações. Ele justificou suas falhas em entrevista:

- Eu tive muito medo, fiquei muito acuado para tudo. Eu estou abrindo meu coração de verdade. Tudo o que aconteceu na minha história desde o episódio de racismo de 2015, que vem à tona sempre que eu apareço. Então é um processo de amadurecimento diário, de entender e melhorar. A gente tem que buscar esses erros e melhorar. Assim como no esporte. Mas, no esporte, essa chance é só de quatro em quatro anos. Mas é aprender com isso e melhorar. Para Paris, fazer diferente - desabafou em entrevista ao repórter Carlos Gil.

Ele também diz não os problemas nas redes sociais com outros os usuários não foram determinantes no resultado ruim deste sábado:

- Não foi por isso, chega um momento que... Eu sempre tive muito medo, muito medo, desde o episódio do racismo, medo de falar, medo de assumir, medo de tudo. Fico sempre acuado, pensando em colocar o sorriso no rosto, brigando comigo para isso. E nestes últimos anos vêm isso muito forte, e no momento que você desabafa, assume, vem muita paulada. Venho tomando muita paulada agora e não vou mais me esconder. Vou assumir essa responsabilidade. É procurar melhorar todos dias - comentou.

Também foi o dia das classificatórias da final por equipes, na qual o Brasil não avançou, ficando em sétimo lugar, com 247.263 pontos. As disputas foram realizadas na Ariake Gymnastics Centre. 

CAVALO
A maior pontuação brasileira foi do Caio Souza, com 13.400 pontos que comemorou muito após saída. Já Arthur Nory decidiu não competir nessa categoria por razões técnicas. Diogo Soares e Chico Barretto também se apresentaram, somando para o Brasil 12.800 e 13.200 pontos, respectivamente.

ARGOLAS

Arthur Zanetti assumiu o segundo lugar da classificatória com uma apresentação praticamente impecável, tendo pontuado 14.900. Já Diogo Soares foi o primeiro a se apresentar na argola, conquistando 13.133 pontos, seguido de Barretto e Caio Souza. Este último teve uma apresentação muito comemorada pela equipe, mas na saída teve um leve desequilíbrio, ficando com 14.333 pontos.

SALTO
Recebendo uma torcida muito animada dos colegas de equipe, Caio Souza retribuiu o apoio com a maior pontuação no salto. O atleta garantiu o quarto lugar para a final da categoria, com 14.800 pontos. Ele conseguiu realizar um tsukahara com três piruetas no primeiro salto e dois mortais pra frente com meia volta no segundo salto.

Diogo Soares novamente foi o primeiro a se apresentar pelo Brasil, conquistando 14.066 pontos usando um yurchenko com duas piruetas. Na sequência foi a vez de Chico Barretto, que levou 13.466 pontos. Arthur Nory decidiu entrar no aparelho desta vez, levando a pontuação de 13.500.

BARRAS PARALELAS
As barras paralelas foram outro desafio para a delegação brasileira. E Caio Souza novamente foi o destaque da categoria. O ginasta carioca conquistou a maior pontuação brasileira, com o total de 14.533 pontos. E novamente Arthur Nory decidiu não entrar em aparelho por conta de sua estratégia. Barretto e Soares também disputaram no aparelho, levando 14.000 e 13.900 pontos, respectivamente.

BARRAS FIXAS
Depois de tanta estratégia, Arthur Nory conseguiu marcar 14.133 pontos, sem conquistar vaga na final e saindo em 11º lugar. Diogo abriu as barras fixas com 13.233 pontos. Já Caio e Chico garantiram 13.466 e 13.833 pontos, respectivamente.

SOLO
Diogo Soares finalmente conseguiu assumir a liderança do placar brasileiro, desta vez no solo, com 14.200 pontos. Mas queda de Arthur Nory foi o que mais chamou atenção no aparelho, o ginasta acabou ficando com apenas 12.800 pontos. Caio Souza e Chico Barretto somaram 13.966 e 13.000 pontos, respectivamente.