Henrique Avancini

Henrique Avancini foi o grande destaque do ciclismo brasileiro em 2018 (Foto/Divulgação)

LANCE!
10/01/2019
15:23
Rio de Janeiro (RJ)

Campeão mundial, segundo colocado no ranking internacional da UCI, vencedor do Brasil Ride, eleito Atleta da Torcida no Prêmio Brasil Olímpico e quebrando múltiplos recordes ao país em torneios pelo planeta. Esse foi o 2018 de Henrique Avancini, ciclista que colocou de vez a nação verde e amarela em destaque nos principais campeonatos da modalidade.

E mesmo com os grandes resultados, o atleta carioca da Cannondale Factory Racing Team acredita poder pedalar ainda mais longe. Neste período de preparações em Petrópolis (RJ), o atleta olímpico comentou sobre a temporada passada e as suas projeções para o ano de 2019.

- A temporada de 2018 foi histórica, marcante. Feitos realmente importantes para essa modalidade no Brasil, para a bicicleta no país. Mas, individualmente, foi um ano de muito aprendizado, de crescimento, e que gerou muitas lições. Pode parecer que foi um ano muito assertivo por conta dos resultados, mas eu errei bastante e aprendi com essas falhas também. Obviamente, o feito mais marcante foi o Campeonato Mundial de XCM, no final do ano. Mas, um feito que me marcou muito também foi o pódio na Copa do Mundo, na Itália, que eu vinha buscando há algum tempo - afirmou.

Preparando-se para as primeiras provas do ano, principalmente ao Cape Epic, ultramaratona na África do Sul, Avancini destacou uma superstição que gosta de fazer no Ano Novo: pedalar logo no dia 1º de janeiro. Para o atleta, a prática simboliza muito a sua carreira. E entre as metas da temporada, quer lidar com as expectativas que os resultados lhe trouxeram.

- Meu principal desafio para 2019 é permanecer onde eu consegui chegar em 2018. Aplicar as lições que eu tive, no treino, para a prática. Tudo o que eu consegui aprender ao longo de 2018 e, obviamente, com uma expectativa externa muito maior. Será desafiador. Tem sido um ano em que as minhas tarefas foram crescendo. Em 2019, não vejo isso mudando. O grande desafio é balancear a expectativa fora da bicicleta com a intensidade da minha vida em cima da bicicleta e ainda performar bem. Ainda tenho conseguido fazer com certo êxito e quero manter isso - finalizou.