Mauro Cezar - ESPN

Mauro Cezar Pereira é comentarista na ESPN Brasil (Foto: Reprodução/ESPN)

LANCE!
29/08/2019
17:15
São Paulo (SP)

O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP) divulgou, nesta quinta-feira, uma nota defendendo Mauro Cezar Pereira, da ESPN Brasil. O jornalista tinha recebido críticas de outros profissionais da comunicação e do esporte, como os técnicos Vanderlei Luxemburgo e Abel Braga, por suas críticas. A nota afirma que o comentarista apenas exerce seu direito de opinar sobre pessoas envolvidas com o futebol.

O comunicado ainda lamenta as críticas feitas ao jornalista. Acusando não existir nenhuma indicação de erro da parte do comentarista, o sindicato ainda abriu espaço para qualquer pessoa ou entidade que se sentir prejudicada ter seu direito de resposta.

No início de agosto, Luxemburgo publicou dois vídeos em seu canal do Youtube criticando o jornalista da ESPN Brasil. O comandante do Vasco chamou de covarde e acusou o comentarista de usar um personagem para atacar os treinadores brasileiros com ofensas pessoais. Luxa começou o vídeo anunciando que estava falando por si e em nome dos técnicos brasileiros e da Federação Brasileira de Treinadores de Futebol (FBTF).

Confira a nota oficial do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP):
"O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) lamenta os ataques que a Federação Brasileira dos Treinadores de Futebol (FBTF) desferiu em nota oficial, na qual expressa “repúdio ao jornalista Mauro Cezar Pereira”, comentarista esportivo do ESPN e articulista do portal UOL.

A FBTF faz acusações genéricas ao jornalista, afirmando que ele “excede o limite do razoável, atacando a honra dos profissionais do esporte” e “confunde e mistura de forma proposital, pejorativa e maldosa, a vida pessoal do treinador de futebol com a de cidadão” (sic). O texto cita até mesmo “ofensas pessoais, o uso de mensagens subliminares maldosas, a perseguição implacável, o discurso de ódio e a amargura explícita”. Como se vê, muitos adjetivos e qualificações, mas ausência de indicações substantivas sobre o que Mauro Cezar teria feito de errado.

Em sua atividade profissional, o jornalista emite opiniões e faz comentários sobre futebol, exercendo o direito de crítica. Os que discordam têm todo o direito, também, de rebater seus argumentos e apresentar o que pensam a respeito. O que não se pode admitir é a tentativa de calá-lo. Isso caracteriza censura, contra a qual os jornalistas e os cidadãos brasileiros tanto lutaram.

Se há ofensas pessoais ou informações incorretas nos comentários feitos, as pessoas ou entidades que se sentirem atingidas podem solicitar direito de resposta e até mesmo recorrer à Comissão de Ética do Sindicato dos Jornalistas e à Justiça, caso avaliem que há fatos graves a apurar. É inadmissível acusar sem base em fatos concretos e assim desqualificar um profissional.

O SJSP defende o exercício do jornalismo expresso na atividade de Mauro Cezar Pereira e ressalta a importância de seu trabalho de crítico esportivo. A entidade respeita a FBTF e os treinadores representados por ela, mas se manifesta contra qualquer tipo de censura ao trabalho jornalístico e em defesa da liberdade de expressão e do direito de crítica."

Mauro Cezar  tem se envolvido em algumas polêmicas nas últimas semanas. MO comentarista trocou farpas pelo Twitter com o comentarista Júnior, da Globo, o apresentador do SporTV Tiago Maranhão e com o técnico Abel Braga. Mas não são as únicas brigas virtuais em que o jornalista da ESPN participou nas redes. Ainda neste ano, Thiago Neves e o agente do Pedrinho, do Corinthians, também bateram boca com o jornalista.