Giba

Giba alega que não tem mesma receita do tempo em atividade como jogador (Foto: Divulgação)

LANCE!
21/12/2020
14:06
Curitiba (PR)

O ex-jogador de vôlei Giba teve prisão decretada pela 7º Vara de Família do Paraná, pela falta de pagamento de pensão alimentícia para os filhos Nicoll, de 16 anos, e Patric, de 12 anos, no valor total de R$ 300 mil, desde março de 2018. O ex-capitão da seleção brasileira tenta diminuir o pagamento da pensão baseado na perda de rendimentos desde o fim da carreira dentro das quadras.

+ Tristes episódios: veja casos recentes de racismo no futebol brasileiro

Apesar de receber um parecer favorável do Ministério Público, a juíza do caso determinou que Giba deveria pagar imediatamente o valor devido. Segundo o site 'ge', o ex-atleta precisou pedir um empréstimo de R$ 90 mil a dois amigos para completar o valor de R$ 150 mil e pagar uma ação movida pela ex-esposa.

- Cansei de ficar quieto. São sete anos em que eu estou tomando porrada, em que ela (Cristina Pirv) procura a imprensa e expõe as crianças divulgando valores de processos que deveriam ser sigilosos. É inadmissível fazer isso com os nossos filhos. Se eu fosse um pai ruim, como ela diz, você acha que as crianças me ligariam todo dia, mandariam mensagem!? Veja as minhas fotos com os meus filhos nas redes sociais - disse Giba ao 'ge'.

O advogado do ex-jogador, José Silvério Santa Maria, afirmou que o valor cobrado por Cristina é maior do que Giba pode arcar atualmente e que é possível que a ex-esposa, que é empresária, tenha mais recursos atualmente do que Giba.

- As pessoas tendem a crer que por ser um ex-atleta de renome internacional o Giba tem possibilidades de sobra de pagar esses valores. Só que esse valor de R$ 15 mil mensais é extremamente alto levando-se em consideração a realidade atual dele e as necessidades das crianças, que têm custos mensais em torno de R$ 9.500. É provável que a Cristina tenha melhor condição financeira do que ele atualmente. Ele tem pago mensalmente R$ 6.500, que é o valor possível atualmente. E nós temos documentos comprovando que, entre 2017 e 2018, a Cristina movimentou valores acima de R$ 900 mil de várias fontes, mas ainda assim informou à imprensa que era pessoa carente com dificuldades de suprir as necessidades dos filhos - disse o advogado.