Robinho

Robinho falou pela primeira vez após suspensão de acordo com Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

LANCE!
17/10/2020
13:28
São Paulo (SP)

O atacante Robinho concedeu uma entrevista ao portal 'Uol Esportes', onde relata sua versão dos fatos sobre a condenação em primeira instância na Itália, em caso de violação sexual contra uma mulher de origem albanesa. O jogador, que teve contrato com o Peixe suspenso, negou que tenha cometido qualquer crime e afirmou que se arrepende apenas de ter traído a esposa.

- Eu me arrependo de ter traído a minha esposa. Esse é meu arrependimento. Em relação às frases que saíram, fora de contexto e para vender jornal e revista... Obviamente que eu mudei muito de sete anos pra cá, isso aconteceu em 2013 e eu mudei para melhor. A questão é: qual foi o erro que eu cometi? Qual foi o crime que eu cometi? O erro foi não ter sido fiel a minha esposa, não cometi nenhum erro de estuprar alguém, de abusar de alguma garota ou sair com ela sem o consentimento dela - disse.

O jogador falou ainda sobre o primeiro contato com a mulher na boate em Milão, em 2013, destacou que não teve relação sexual com ela e que não sabe o que aconteceu depois que deixou a discoteca. Segundo ele, os amigos contaram que tiveram relação sexual consentida com a mulher.

- Quando ela se aproximou de mim, ela não estava embriagada, até porque ela lembra do meu nome, lembra quem sou eu. A pessoa que bebe não lembra de nada. Ela lembra - afirmou.

- Quando eu saí, os garotos continuaram lá com consentimento dela. Eu estou me defendendo. Os garotos, se fizeram algo com ela, eu não posso falar por eles. Eu sei o que eu fiz com ela e com consentimento dela - concluiu.

Questionado sobre o trecho do processo revelado em matéria do "GE.com" que um amigo diz a Robinho: "eu te vi quando colocava o pênis na boca dela", Robinho disse que não nega que teve contato físico com a mulher, mas não considera o que teve como ato sexual.

- Muitas coisas que estão falando eu realmente não lembro, mas que houve um contato entre eu e ela, houve sim. Não estou negando isso. O que não houve foi algo forçado com ela, isso não teve - afirmou.