Enredos Estácio, Bangu e Abolição

Enredos da Estácio de Sá, Unidos de Bangu e Acadêmicos da Abolição (Divulgação)

Leonardo Damico
19/04/2022
08:05
Rio de Janeiro (RJ)

O Carnaval do Rio de Janeiro acontece nesta semana e algumas escolas de samba trarão enredos relacionados ao esporte para os desfiles. Ao todo, oito agremiações se apresentarão com temas vinculados ao futebol, são elas: Estácio de Sá, Unidos de Bangu, Botafogo Samba Clube, Acadêmicos da Abolição, União Cruzmaltina, Guerreiros Tricolores, Fla Manguaça e Tubarão de Mesquita.

Rebaixada do Grupo Especial para a Série Ouro no ano passado, a Estácio de Sá vai reeditar o enredo de 1995 neste Carnaval. Para a Série Ouro em 2022, a escola levará para a Marquês de Sapucaí o tema 'Cobra Coral, Papagaio-Vintém, Vestir Rubro-Negro, Não Tem Pra Ninguém', que rende homenagem ao Clube de Regatas do Flamengo. Há 27 anos, a agremiação também falou sobre o Rubro-Negro, mas com o nome do enredo 'Uma vez Flamengo' e ficou na sétima posição. 

+ É Carnaval! Saiba quais as escolas de samba do Rio ligadas aos quatro grandes clubes do Estado

Também na Série Ouro, a Unidos de Bangu trará o enredo 'Deu Castor na Cabeça', que renderá uma homenagem ao ex-patrocinador do Bangu Atlético Clube, Castor de Andrade. Um dos maiores banqueiros do Jogo do Bicho que o país já teve e ex-patrono da Mocidade Independente de Padre Miguel, o contraventor foi responsáveis por campanhas históricas do clube, como o vice-campeonato brasileiro de 1985, uma participação inédita na Libertadores, em 1986, e o título da Taça Rio, em 1987.

A Botafogo Samba Clube, escola ligada ao Alvinegro, terá como enredo um dos grandes nomes da história do futebol brasileiro. Para 2022, a agremiação homenageará João Saldanha. Ex-jogador do time, também jornalista, deixou os gramados para assumir a função de jornalista e técnico. Como treinador, levou o Botafogo ao título carioca de 1957 e classificou a Seleção Brasileira para a Copa de 1970. O jornalista também teve papel importante na luta contra a ditadura no país.

De olho em uma vaga na Série Ouro para desfilar na Marquês de Sapucaí no ano que vem, a Acadêmicos da Abolição vai homenagear o jornalista esportivo Alex Escobar. A agremiação deu o nome do enredo de 'É samba, é popular, é Alex Escobar'. Nascido em Bangu e torcedor da Mocidade, Escobar iniciou a carreira no Rock Bola, e foi contratado em 2003 pela Globo, onde é hoje um dos principais nomes do esporte da emissora. A Abolição é a 12ª escola a desfilar no dia 30 de abril, na Intendente Magalhães.

+ Quais clubes de futebol estarão representados nos desfiles no Rio e em São Paulo? Veja

Escola ligada ao Vasco da Gama, a União Cruzmaltina é outra a levar um enredo relacionado ao esporte para os desfiles. A agremiação tem como tema 'O Meu Coração é Tua Morada', que renderá uma homenagem à torcida do Vasco. Rodrigo Almeida será o carnavalesco responsável pela apresentação no dia 22 de abril, pela Série Bronze. Estreante no Carnaval, a Tubarão de Mesquita terá como enredo o Mesquita Futebol Clube, e desfila no dia 21 de abril, no Grupo de Avaliação.

Criada em 2019, a Guerreiros Tricolores, escola ligada ao Fluminense, desfila pela Série Bronze, no dia 22 de abril, com o enredo 'Forjados nas Cores do Guerreiro, Nosso Lema é Vencer ou Vencer!', onde fala da origem das cores do clube e ligação das mesmas com orixás. Outra estreante, a Fla Manguaça se apresenta no dia 21, no Grupo de Avaliação, com enredo 'Sou Resistência! Sou da Pele Preta! Sou Voz da Favela que não se Cala! Muito prazer, sou Fla Manguaça!', onde fala da chegada do negros ao país, relação com o futebol, Flamengo e a criação da torcida.