Agenor - Fluminense

Agenor teve boa atuação diante do Cruzeiro (Foto: Lucas Merçon/Fluminense)

Joel Silva
06/06/2019
17:59
Rio de Janeiro (RJ)

Abatido após a eliminação nas oitavas de final da Copa do Brasil, o elenco do Fluminense desembarcou na tarde desta quinta-feira, no Rio de Janeiro. Sem muito tempo para lamentar, o Tricolor precisa se recompor, já que está mal no Campeonato Brasileiro. O goleiro Agenor afirmou que está triste, mas com a cabeça no clássico de domingo, contra o Flamengo, no Maracanã.

- É uma eliminação triste, onde esperávamos passar de fase, nos preparamos para passar de fase. Temos que lamentar, só que na nossa cabeça já temos o clássico no fim de semana e precisamos nos recuperar no Campeonato Brasileiro, onde estamos mal na tabela.

Sem a Copa do Brasil, o Fluminense terá pela frente, além do Campeonato Brasileiro, a Copa Sul-Americana, competição que está nas oitavas de final, tendo pela frente o Peñarol. Agenor fez questão de ressaltar que o Tricolor precisa manter a pegada e o foco, para conseguir os bons resultados.

- A maior lição que a gente tira dessa eliminação é ter que fazer o dever de casa, continuar com o mesmo foco, mesma motivação que a gente vem entrando nos jogos. Procurar entrar mais ligados nas partidas. Então é assim que precisamos se portar, sempre entrando em campo para vencer. Foi uma eliminação complicada, mas que sirva de lição para o Campeonato Brasileiro.

Mesmo sem a classificação na bagagem, o Fluminense voltou ao Rio com muita moral perante ao seu torcedor, principalmente por ter enfrentado o Cruzeiro, atual bicampeão da Copa do Brasil, de igual para igual. Agenor destacou que, apesar dos atrasos salariais, o time vem correspondendo e aproveitou para mandar um recado para a nova diretoria, que vai tomar posse na próxima segunda-feira.

- A eleição é do clube e somos do futebol. Cabe a nós ganharmos os jogos. Cabe à diretoria e ao presidente que entrar, resolver essas coisas extracampo. O grupo está ciente, mesmo com as dificuldades, estamos correspondendo. Apesar da classificação não ter vindo, não faltou empenho e entrega. Mais importante é a gente separar que, o time está lutando dentro de campo, e a diretoria tem que fazer a parte dela.

O elenco tricolor treina na manhã desta sexta-feira, no CTPA, iniciando os trabalhos visando o clássico com o Flamengo. O Fluminense terá os desfalques de Airton e Nino, que terão que cumprir suspensão, além de Bruno Silva, Digão e Léo Santos, entregues ao departamento médico. Pedro e Marcos Paulo estão com as seleções de Brasil e Portugal, participando do Torneio de Toulon.

Outros tópicos da entrevista:

Confiança de Diniz e a titularidade.

- Eu agradeço a confiança do Diniz. Ele que me trouxe pra cá, já nos conhecemos há bastante tempo, com ele tentando me levar para outros clubes, mas isso não foi possível em outras ocasiões. Agradeço a confiança que ele vem me passando, os ensinamentos para o time. Na Bahia eu tive uma falha e reconheci esse meu erro, mas não é porque eu falhei lá, que isso vai me abalar de alguma maneira. São situações que a gente passa. Lá atrás ficamos expostos, então o erro vai ter mais destaque, só que eu fico tranquilo porque sei que eu posso ajudar ainda mais o time e fico feliz pela atuação, mas infelizmente não conseguimos nos classificar. Agora é pensar no Flamengo.

Falha nos pênaltis

- Pênalti e muito de cada um, que chuta de uma maneira característica. Passamos um feedback para o jogador, sobre o goleiro adversário, mas perder faz parte do jogo. Poderíamos sair como vencedores, mas foi o Cruzeiro, parabéns a eles e vamos agora focar no Brasileiro.

Desfalques para o clássico

- Não foi nos passado nada ainda. Apenas lamentamos a derrota. A partir de amanhã vamos trabalhar o time que vai entrar. Independente do jogador que entrar, improvisado ou não, eles darão conta do recado.