Renato Gaúcho

Renato Gaúcho comanda o Flamengo neste domingo, contra o Ceará no Castelão (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

LANCE!
22/08/2021
08:00
Fortaleza (CE)

Jorge Jesus, Domènec Torrent, Rogério Ceni... Todos técnicos que estiveram no Flamengo nos últimos anos conviveram com um questionamento específico: Pedro e Gabigol podem atuar juntos? Não seria diferente com Renato Gaúcho, que indicará como encara a situação nesta tarde. Suspenso, Bruno Henrique não enfrentará o Ceará, às 16h, e o técnico tem alguns candidatos para escalar ao lado do camisa 9. Além de Pedro, Vitinho e Michael estão entre os cotados.

+ Confira a classificação atualizada e todos jogos da 17ª rodada do Brasileirão!

Os problemas não param por aí. Além de BH, são mais oito desfalques. Entre eles, Arão e Arrascaeta. Assim, a partida de domingo será um teste para o elenco - o primeiro em um semestre que promete ser cheio de decisões. O confronto entre Flamengo e Ceará tem transmissão em tempo real do LANCE!.

A DUPLA COM RENATO: 70 MINUTOS EM CAMPO

Desde que Renato Gaúcho estreou no comando do Flamengo, em 14 de julho, Gabi e Pedro atuaram juntos em quatro partidas, somando 70 minutos em campo: quatro contra o Defensa y Justicia, na Argentina, 19 contra o ABC, no Maracanã, 16 contra o Corinthians, em São Paulo, e 31 contra o Olímpia, no Mané Garrincha. Em todas vezes, Pedro foi quem saiu do banco de reservas.

Ou seja, Renato ainda não  escalou Pedro e Gabi juntos desde o início de uma partida. Isso porque Bruno Henrique vive grande fase sob seu comando. Foi titular em oito dos últimos nove jogos do Flamengo, marcou sete gols e deu três assistências. Quando substituído, BH deu lugar mais vezes a Vitinho (2).

E a tendência é que Vitinho seja mesmo titular contra o Ceará. Se não for na vaga de Bruno Henrique, deve ser no lugar de Arrascaeta. O camisa 11 tem atuado mais como um segundo atacante e tem bons números com Renato: quatro gols e duas assistências. Michael corre por fora por uma oportunidade.

Já no lugar de Willian Arão, a tendência é que João Gomes seja o escolhido. Foi assim nas duas vezes que o treinador não contou (ou preservou) o camisa 5.