Marcos Braz entrega camisa do Flamengo a Rodrigo Caio

(Alexandre Vidal / Flamengo)

LANCE!
30/12/2018
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

Durante a campanha, um dos pontos mais criticados por Rodolfo Landim, presidente eleito, foi o espírito passivo e acomodado demonstrados pelo time do Flamengo, segundo ele. Com a chegada do zagueiro Rodrigo Caio, além da necessidade que o Rubro-Negro tinha no setor, há um pacote que envolve também um espírito de liderança, algo que, em parte, se alinha ao discurso eleitoral.

Nos tempos de São Paulo, Rodrigo Caio foi, em algumas oportunidades, apontado como líder da equipe e, quando insatisfeito com os resultado, nunca escondeu o sentimento. Nem mesmo em entrevistas coletivas.

Em 2015, Leco, então presidente do Tricolor, elegeu o zagueiro, ao lado do meia Ganso e do atacante Alan Kardec, como nomes que poderiam assumir essa função frente do elenco. No ano seguinte, em uma entrevista no CT Barra Funda, após um empate com o Grêmio, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro, Rodrigo Caio apontou falta de comprometimento do grupo tricolor e chegou a ressaltar que a diretoria tinha todo o direito de realizar um desmanche no elenco, visando 2017.

- Acho que é falta comprometimento. A gente treina, o técnico pede para nós, pede para recompor, todo mundo se ajudar. Em alguns momentos entendemos que há desgaste (físico), mas cada um tem de ter sua reflexão. Para um time vencer, todo mundo tem de se dedicar, se ajudar da forma que precisa. Por isso vivemos esse momento tão difícil - disse, em novembro daquele ano.

A indignação de Rodrigo Caio após o resultado pode ser um dos pontos desejados por Landim, que, em entrevista ao LANCE!, antes do pleito, apontou reprovação quanto à forma que o Rubro-Negro aceitava os resultados que não eram positivos.

- O que mais nos move a participar do todo processo é por que nós queremos resgatar o Flamengo de volta. O Flamengo que tem vontade ganhar e não aceita perder. E não o Flamengo acomodado que tenho visto, com o mesmo discurso ganhando ou perdendo, aceitando a derrota com naturalidade, o Flamengo que não fica indignado com nada.

A contratação de Rodrigo Caio foi anunciada pelo Flamengo no começo da noite do último sábado. O Rubro-Negro desembolsou 5 milhões de euros (cerca de R$ 22,2 milhões) e adquiriu 45% dos direitos do jogador, cria das categorias de base do São Paulo. O vínculo será de cinco anos.

Segundo o LANCE! apurou, há a possibilidade de, dependendo de metas alcançadas por temporada, o Rubro-Negro comprar mais 15% dos direitos por mais um milhões de euros (R$ 4,44 milhões) - isso, em um prazo de dois anos. Então, daqui a duas temporadas, o Flamengo pode passar ao São Paulo mais dois milhões (R$ 8,88 milhões) de euros e adquirir mais 30% dos direitos, ficando com 75%. O restante, ficaria dividido em 15% com o Tricolor e 10% para o próprio jogador.