Flamengo x Peñarol Gabigol

Gabigol foi expulso no segundo tempo (Foto: Marcello Dias/Eleven/Lancepress!)

Fernanda Teixeira
03/04/2019
23:38
Rio de Janeiro (RJ)

Em noite de público recorde no Maracanã no ano, o Flamengo decepcionou. O time comandado por Abel Braga foi derrotado por 1 a 0 pelo Peñarol, nesta quarta-feira, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores. O gol do jogo foi marcado pelo atacante Viatri, que entrou no segundo tempo. Gabigol foi expulso aos 29 da segunda etapa, por entrada dura em Rojo.

Com o resultado, o Penãrol assume a liderança do Grupo D, com seis pontos, mesmo número do Fla, que perde no saldo de gols. A LDU é terceira, com quatro, e o San Jose, o lanterna, com apenas um. O próximo compromisso do Rubro-Negro pelo torneio é no dia 11, contra os bolivianos, também no Maracanã.

Poucas chances
Com o Maracanã lotado, o Flamengo bem que tentou sair para o jogo nos primeiros minutos de bola rolando, mas o que se viu em campo foram dois times comedidos e mais preocupados em defender. O Peñarol arriscou algumas jogadas pelas pontas. As melhores chances do Fla saíam das articulações de Diego, que deixou Gabigol duas vezes em boas condições. Em uma delas, aos 12 minutos, o chute do camisa 9 passou ao lado do gol de Dawson e empolgou a torcida. O Penãrol respondeu aos 22, com Canobbio aproveitando cruzamento da direita de cabeça e o perigo afastado por Pará.

Faltou pontaria
O Rubro-Negro passou a pressionar a saída de bola dos uruguaios. A estratégia deu certo e, nos erros do adversário, colocou pressão. Faltou, no entanto, combinar com Gabigol, que teve pelo menos duas chances, mas não acertou o pé.

Milagre de Diego Alves
No final do primeiro tempo, Gabigol sofreu falta na entrada da área e Diego cobrou em cima da barreira. O Peñarol puxou contra-ataque na sequência, com os jovens do elenco. Brian, de 18 anos, avançou pela esquerda e tocou para Canobbio, de 20 anos, finalizar de primeira, de canhota, dentro da área. Diego Alves operou um verdadeiro milagre no Maracanã e conseguiu defender no contrapé, evitando o primeiro gol aurinegro. Melhor chance do jogo.

Só deu Fla
Na volta do intervalo, o Flamengo veio com tudo para cima do Peñarol. Os primeiros 15 minutos foram um verdadeiro massacre rubro-negro, que teve oportunidades de abrir o placar com Bruno Henrique, Rodrigo Caio e Everton Ribeiro. Aos 10, Gabigol teve um gol corretamente anulado por impedimento, após completar cruzamento de Pará. Os uruguaios buscavam espaços para contra-atacar, mas erravam muito e não conseguiam jogar.

Gabigol perde a cabeça
Aos 29 minutos, Gabigol exagerou ao voltar para ajudar na marcação e deu um carrinho duro por trás em Rojo, quando o Peñarol rodava a bola no ataque sem levar perigo. O árbitro argentino Patricio Loustau deu vermelho direto para o atacante. Com um a homem a mais, o técnico Diego López ousou e sacou o volante González para a entrada do atacante Viatri. A mudança funcionou e, no primeiro lance de perigo, o jogador que acabara de entrar fez de cabeça o gol da vitória, após cruzamento de Hernández. Decepção e frustração no Maraca, que estava lotado para ver mais uma vitória rubro-negra.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 0 X 1 PEÑAROL

Data/Hora: 03/04/2019, às 21h30 (de Brasília)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Gramado: Bom
Público/Renda: Pagantes 61.576, presentes: 66.716/ R$ 2.662.773,50
Árbitro: Patricio Loustau (ARG) Nota L! - 6,5: Anulou corretamente gol do Fla e acertou na expulsão de Gabigol
Assistentes: Juan P. Belatti (ARG) e Diego Bonfa (ARG)
Cartões amarelos: Cuéllar, Diego (FLA); Giovanni González, Rojo, Guzmán Pereira, Formiliano, Lema (PEN)
Cartão vermelho: Gabigol, 29’/2ºT

Gol: Viatri (0-1, 42’/2ºT)

FLAMENGO: Diego Alves; Pará, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Cuéllar, Willian Arão (Vitinho, 22’/2ºT) e Diego; Everton Ribeiro, Gabigol e Bruno Henrique (Uribe, 41’/2ºT). Técnico: Abel Braga.

PEÑAROL: Dawson; Giovanni González; Formiliano, Lema e Lucas Hernández; Guzmán Pereira (Viatri, 35’/2ºT), Gargano, Brian Rodríguez (Rojo, 28’/2ºT) e Cristian Rodríguez; Darwin Núñez (Gastón Rodríguez, 19’/2ºT) e Canobbio. Técnico: Diego López.