Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

eSports 360
24/03/2021
16:44
Rio de Janeiro

Se você é fã de fps, MOBA ou futebol com joystick, provavelmente, já sentiu arrepios na pele e adrenalina com a narração de Nicolino. Com raciocínio rápido e flexibilidade, o paulista é a ‘voz da emoção’ nos esportes eletrônicos. Vencedor do Prêmio eSports Brasil como melhor caster, em 2020, Nicolas Emerenciano, agora, prepara-se para levar sua experiência aos universitários de todo o País no maior torneio mundial de VALORANT, o Red Bull Campus Clutch. 

Narrador oficial do evento, cujas inscrições abrem no início de abril, Nicolino tem uma forte relação com torneios de games estudantis, principalmente, por conta do TUES (Torneio Universitário de Esports), fundado por ele e alguns amigos, há cerca de cinco anos. Pela experiência, o caster sabe que o torneio de VALORANT é uma oportunidade de avançar de fase, mudar de level e ganhar xp. 

“O cenário universitário é muito importante para mim.  Ele me transformou, me deu tudo o que eu tenho hoje. Eu lembro que, no TUES, a gente chegou a levar 14 universitários para Portugal. Sei o que isso causa na vida dos caras. Levamos o pessoal, que viajou pela primeira vez de avião, tínhamos hotel com piscina e coisas que eles não teriam nessas mesmas condições. É uma experiência única. Essa oportunidade do Red Bull Campus Clutch é uma cereja do bolo, pois ele é bem cuidado e tem grandes apoiadores. Eu estou muito feliz e 100% realizado de me envolver”, afirma o caster, relembrando o seu primeiro contato com os estudantes. 

Brasil favorito? Pra Nicolino, sim!

Empolgado com a primeira edição do Red Bull Campus Clutch, Nicolino quer ver a nova geração do fps em ação. “Eu vejo a gente como a região favorita. Como eu vim desse cenário universitário, já vi muita gente boa e tenho muita confiança. Tanto no cenário profissional, quanto no universitário, se a galera se dedicar, o Brasil fica no topo do mundo. Fica pau a pau com Europa, dividindo entre primeiro ou segundo lugar”, analisa.

E para quem quer se dar bem na competição, vale ficar de olho em algumas dicas imperdíveis do Nicolino: 

1) Inteligência

Como VALORANT mistura habilidade, poder e mira, o player que tiver raciocínio rápido e estratégia para saber a hora de desarmar a spike ou recuar, mesmo se não for bom de pontaria, pode chegar longe.

2) Domine um agente

Como agentes têm funções e poderes específicos, se o participante tiver maestria com dois deles ou uma classe, ele vai se destacar. “Por exemplo, se você for muito bom de sentinela, dominando a CYPHER, você pode se dar bem”, diz Nicolino.

3) Vai pra cima

Ter estilo combativo pode levar o participante mais longe. “Eu vejo a gente neste estilo mais ofensivo. Tradicionalmente, aqui nós temos trazido composições com dois duelistas, mas lá fora nem sempre é assim. Como a galera não vai gastar o mesmo tempo que os profissionais usam para criar táticas, estudar adversários, acho que a decisão ficará mais nos abates”, completa Nicolino.