Rei do empate! A  Raposa ficou na igualdade por 18 vezes nesta Série B

Rei do empate! A Raposa ficou na igualdade por 18 vezes nesta Série B-(Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Anderson Gonçalves-Valinor Conteúdo
23/12/2021
21:03
BH

Todos os setores de campo do Cruzeiro falharam em 2021, não conseguindo consistência para levar o time de volta à Série A do Brasileirão, chegar à final do Campeonato Mineiro, ou mesmo ir longe na Copa do Brasil, competição que é o maior vencedor com seis conquistas.

E, o ataque foi pífio, conseguindo apenas 59 gols em 55 jogos, com a média de 1,02 gol por jogo. Grande parte do desempenho ruim cruzeirense pode ser compartilhado com a defesa, que sofreu muitos gols e ainda com o alto número de empates no ano: 20 no total, ou seja: mais de um terço dos jogos da Raposa em 2021 acabaram na igualdade, já que o ataque celeste pouco funcionou.

A situação se complica ainda mais, pois o artilheiro do time no ano foi um volante, Matheus Barbosa, com sete gols, que deixou o time muito antes da temporada acabar. Marcelo Moreno, Rafael Sobis, Dudu, Thiago, Felipe Augusto, Wellington Nem, que não marcou nenhum gol com a camisa celeste, deixaram o torcedor celeste de “cabelo em pé” com a baixa produção.

Pelo segundo ano seguido, Moreno, que seria a referência no ataque estrelado, não conseguiu ir além dos seis gols em 22 jogos. Thiago, que ganhou várias chances no time titular, foi às redes quatro vezes apenas. Logo, o ano do ataque azul é para ser esquecido e repensado, caso não queira ficar na Série B pelo quarto ano seguido.