Sassá voltou a treinar com a Raposa e já está liberado para jogar na Série B

O elenco profissional masculino tem duas folhas de pagamento em atraso. Cruzeiro diz que está buscando solucionar as pendências-(Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
07/10/2020
16:26
Belo Horizonte

A crise sem fim do Cruzeiro tem mais um capítulo: dessa vez é o atraso salarial do elenco profissional, que ainda não recebeu o pagamento referente a agosto. E, os vencimentos de setembro também devem atrasar, pois o quinto útil do mês, habitual para efetuar os acertos de salários, já venceu.

O clube celeste ainda busca recursos para quitar as dívidas com os atletas. Os salários de agosto, referentes a julho, de funcionários administrativos, da base e do futebol feminino, foram quitados antes do jogo contra a Ponte Preta, na última semana, ficando pendente as folhas de agosto e setembro.

O custo mensal do futebol profissional masculino gira em torno de R$ 3 milhões. A Raposa afirma que tem mantido diálogo com o elenco para que a situação seja resolvida.

A venda do meia Caio Rosa, por R$ 3,3 milhões, para o Al Sharjah, dos Emirados Árabes, pode ser uma fonte de receitas para quitar o débito. Todavia sem mais recursos, o dinheiro arrecadado resolveria apenas um mês de salários.