Mesmo retornando, Zé Eduardo não está nos planos de Felipão para o restante da temporada no Cruzeiro

Zé Eduardo é o terceiro jogador do Cruzeiro a processar o clube em 2021-(Gustavo Aleixo/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
21/01/2021
17:50
Belo Horizonte

O atacante Zé Eduardo, que está processando o Cruzeiro na Justiça do Trabalho, teve negado o seu pedido de rescisão indireta de contrato com a Raposa.

A decisão de indeferir o pedido de tutela foi feita pelo juiz substituto Circe Oliveira Almeida Bretz, da 8ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte.

Além de Zé Eduardo, o zagueiro Dedé e o volante Jadsom Silva também pediram a rescisão indireta dos seus vínculos com o Cruzeiro na Justiça do Trabalho e também não conseguiram encerrar o contrato com o time mineiro.

Entenda o caso de Zé Eduardo

Zé Eduardo solicitou ao judiciário a rescisão indireta e mais de R$ 2 milhões como indenização na causa.

É o terceiro processo em 2021 que a Raposa sofre de algum atleta ligado ao clube mineiro. O volante Jadsom Silva e o zagueiro Dedé também ingressaram na Justiça do Trabalho querendo indenizações milionárias e a rescisão de contrato.

Zé Eduardo encontrou uma forma de desvincular do Cruzeiro, pois não está sendo aproveitado no time. Em 2020, jogou apenas 20 minutos ainda sob o comando de Ney Franco. Com Felipão, não teve nenhuma oportunidade.
A ação foi distribuída à 8ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte na tarde desta terça-feira, 19 de janeiro. O Cruzeiro ainda não foi citado no processo.

CONFIRA COMO ESTÁ A TABELA DA SÉRIE B DO BRASILEIRÃO

O contrato de Zé Eduardo, de 21 anos, vai até 2024. Ele foi comprado pelo clube em 2019 para defender o time sub-20. Entretanto, sem ganhar espaço no profissional, acabou sendo emprestado ao Villa Nova-MG e ao América-RN, onde teve boa temporada. Ele marcou dez gols em 11 jogos no ano passado pelos dois clubes, o que despertou a atenção de Ney Franco, que pediu seu retorno do América-RN.

Após o pouco tempo em campo diante do Oeste, o atacante não teve mais chances e acabou sendo afastado do grupo principal, treinando em separado.

O América-RN tentou ficar com o jogador por empréstimo novamente, mas por querer 15% dos seus direitos, o Cruzeiro se recusou a liberar o atleta.

O jogador voltou a Belo Horizonte e o Cruzeiro tentou emprestá-lo para outro time potiguar, o ABC. Mas, as negociações não seguiram. O Brusque-SC também tentou, porém, sem sucesso. Com os salários atrasados, Zé Eduardo achou a “brecha” para conseguir deixar o clube via Justiça, caso não haja um acordo entre as partes.