Sérgio Rodrigues acena com mais cortes no elenco e no clube para cortar gastos no Cruzeiro

O mandatário da Raposa atualizou o status de situações delicadas que o clube enfrenta-(Igor Sales/Cruzeiro)

Valinor Conteúdo
17/09/2020
19:04
Belo Horizonte

O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, em sua live semanal nos canais oficiais do clube, comentou sobre vários assuntos delicados relacionados ao clube celeste.

Sérgio atualizou as situações do Profut, do novo acordo com o Mineirão e reverter a punição imposta pela FIFA no caso Zorya, que o impediu o clube de registrar novos atletas. O time celeste ainda está sem resposta, mesmo já tendo apresentado um recurso à decisão da entidade máxima do futebol.

- Quanto ao Zorya, hoje ainda falei com o advogado, Breno Tannure. Como a gente já divulgou para a mídia, a gente, recentemente, juntou ao processo a perícia que os e-mails enviados pelo Zorya são os e-mails enviados para a Fifa, logo os e-mails responsáveis que poderiam ter feito o acordo com a gente, e o Cruzeiro está sendo prejudicado por briga interna do Zorya. A gente está batalhando para que a gente possa ter uma solução. Temos que esperar julgamento da Fifa. A Fifa está funcionando num ambiente devagar, mas nosso contato lá é diário para que possa dar uma boa notícia à torcida-disse Sérgio, que, em seguida comentou sobre o Profut, programa de refinanciamento de impostos federais, que o clube foi excluído por falta de pagamento.

- A gente tem negociado, existe obviamente a discussão jurídica, que a gente continua brigando pela. Existem os recursos administrativos ainda na Apfut, acredita que esse mês devem retornar. Existem as conversas com a PGFN para que a gente possa buscar solução para este caso. A gente acredita que num cenário curto prazo que, nos próximos 15 ou 20 dias, já tenha alguma solução. Pode ter certeza que nosso jurídico está trabalhando incessantemente e vamos dar uma solução em breve-explicou.

Por fim, Sérgio Santos Rodrigues falou do novo acordo com a Minas Arena, que administra o Mineirão. A negociação ficou paralisada por uma penhora judicial da União de um depósito para acertar a dívida entre o estádio e a Raposa.

- Com o Mineirão, a relação, a gente já falou que é excelente. A gente chegou a protocolizar o acordo e não foi homologado pela questão tributária. Então, acho que uma coisa vai desatar a outra quando for resolvida. Vamos traçar um grande plano para frente, de cogestão, principalmente nos dias de jogo. A gente tem certeza que vamos transformar em esporte e entretenimento, vamos pintar o Mineirão de azul. Tenha certeza que vamos fazer isso. São os dois maiores representantes desportivos. Não tenha dúvida que Cruzeiro e Mineirão vão voltar a caminhar juntos e vamos comemorar muito título lá-concluiu.