LANCE!
13/10/2020
15:40
São Paulo (SP)

Vagner Mancini foi apresentado nesta terça-feira como novo técnico do Corinthians e concedeu entrevista coletiva virtual para responder a perguntas dos jornalistas. Logo neste contato inicial, o comandante prometeu tentar dar um "choque" na equipe com o objetivo de voltar a vencer e garantiu que o que busca resgatar a "marca Corinthians" neste que considera a maior oportunidade de sua carreira de mais de 15 anos nesta função.

- É a grande chance da minha carreira, sim, assino embaixo pelo tamanho do Corinthians, pela história - disse o novo treinador corintiano.

Diante da tentativa recente de o Timão mudar seu estilo de jogo com a contratação de Tiago Nunes e a experiência não ter dado certo, Mancini entende que o melhor a fazer neste momento é colocar em prática aquilo que o clube tem mostrado nos últimos anos: solidez defensiva e eficiência no ataque. No entanto, ele acredita que mais para frente isso pode mudar.

- Num momento inicial, o Corinthians vai voltar a ser o Corinthians, jogar com a marca Corinthians, não adianta querer mudar cultura ou maneira de jogar. Todo mundo tem o direito de tentar, a tentativa é sempre válida, mas num momento em que a situação mostra que é importante estar focado e buscar nas suas raízes a sua melhor força, o Corinthians tem de voltar a jogar como acompanhamos nas maiores conquistas - declarou antes de completar: 

- Você vai buscar na sua memória o que tem de melhor, de uma era vitoriosa, onde o clube tinha em campo atletas que buscavam o máximo em todas as jogadas, todo mundo sabia a dificuldade de enfrentar o Corinthians não só dentro de casa, tinha uma marca Corinthians. Temos de resgatar para dar confiança e bons resultados. É o passo inicial. Depois ajustes serão feitos. Temos de suar sangue para as coisas conseguirem mudar.

Coletiva Vagner Mancini - Corinthians
Vagner Mancini hoje tem 53 anos (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

Sobre o estilo de jogo que ele gosta de colar em prática, Mancini classificou seus times como "agressivos", sem deixar o rival jogar e chegar de forma rápida ao gol adversário. É isso que o treinador promete impor no Timão.

- Meus times tem forma agressiva de jogar. Isso eu posso pedir a partir do momento que não interfere em característica. Não quer dizer ter atleta expulso. É diminuir marcação, não deixar o adversário jogar, subir linha de marcação. Com a bola é chegar o mais rápido possível no gol adversário. Essa agressividade vai existir no Corinthians. Ser agressivo é o ponto diferencial. Você não pode ter uma equipe que quer chegar ao gol sem agredir, seja com bola, sem, no contato físico. Essa agressividade talvez esteja faltando. Cheguei ontem (segunda-feira), é muito cedo para qualquer análise. Quero acertar mais que errar, eles vão acontecer, fazem parte do aprendizado.

Perguntado sobre o incômodo de um clube gigante estar na zona de rebaixamento, Mancini concorda que há um abalo emocional, mas também uma oportunidade de dar a volta por cima. Por isso ele acredita que o Corinthians sairá rapidamente dessa situação, sem a preocupação de jogar um futebol bonito, mas sim vencer as partidas, que é o que importa agora.

- Não tenho dúvidas que vamos reagir o mais rápido possível, óbvio que ajustes serão feitos, mas é importante acreditar nas pessoas que estão aqui faz parte ao processo. Temos que passar confiança e convicção. E ganhar jogos é o mais importante. A cara do Corinthians são vitórias suadas, ganhas em cima de um comportamento que não só agrada quem está aqui do lado, mas o torcedor também. A cultura do clube é essa. Tudo o que eu puder fazer, será feito. Não quero somente um futebol vistoso, quero que o Corinthians ganhe, que conquiste, isso torna o clube maior. Vistoso não quer dizer plástico. É entrega, alma, botar em campo o que o corintiano quer ver.

Mancini terá pouco tempo para trabalhar até encarar o Athletico-PR, nesta quarta-feira, às 21h30, na Arena da Baixada, pela 16ª rodada do Brasileirão-2020. Serão apenas dois treinos ao todo, incluindo o desta tarde, para preparar a equipe que viaja ainda nesta terça-feira em voo fretado para Curitiba. Para o treinador, o objetivo é dar um "choque" inicial no elenco para buscar a vitória.

- (para o jogo contra o Athletico-PR) Esperar que seja um time com astral diferente. Assisti boa parte do jogo contra o Ceará e pelo o que eu vi no semblante dos atletas ontem aqui no CT, vou reencontrá-los agora no treino, e esse será um ponto atacado. Assim como já disse sobre gestão de pessoas, é importante mostrar um caminho. Ninguém é dono da verdade, mas é uma atitude urgente para render o que a gente pode - disse, antes de completar:

- A performance tem de melhorar e não apenas dos atletas em campo, isso recai sobre toda a estrutura. Com dois treinos apenas, é difícil fazer mudança tática significativa, mas é possível mudar atitude emocional, o que pode ser importante fora de casa. Vamos mostrar no treino o que é possível e devolver a confiança no decorrer do tempo. Importante dar um choque para que amanhã a gente tenha uma evolução em tudo isso - concluiu.