Corinthians x Atlético-MG

Treinador do Corinthians vive sob intensa pressão por parte da torcida (Luis Moura / WPP)

Yago Rudá
02/09/2018
06:20
São Paulo (SP)

Jogando em sua arena, o Corinthians tem um aproveitamento superior a 60% dos pontos disputados ao longo dos mais de quatro anos da existência de sua casa. Os bons números conquistados em Itaquera possuem relação direta com a postura agressiva da equipe perante seus adversários. Na noite do último sábado, no entanto, o Alvinegro comandado pelo técnico Osmar Loss não conseguiu demonstrar isto atuando contra o Atlético-MG e poderia muito bem ter sido derrotado.

Escalado com um time misto, o Corinthians praticamente não ofereceu perigo ao gol defendido por Vitor. O chileno Araos não conseguiu criar situações de finalização para o centroavante Roger e o paraguaio Romero, bem marcado por Luan no primeiro tempo, se destacou mais pela entrega do que pela técnica. Quando poderia ter mudado o panorama do jogo, Osmar Loss não o fez.

Empatando em casa contra o Galo, o treinador optou por não mandar o Corinthians para frente com receio de ser contra-golpeado pelos mineiros e sair derrotado de Itaquera. Desta forma, trocou Roger por Danilo, Mateus Vital por Romero e ainda colocou o garoto Rodrigo Figueiredo para fazer a função de Araos. De nada adiantou. 

Na prática, o comandante do Timão apenas trocou as peças de sua equipe sem alterar em nada o sistema tático. O time seguiu previsível, sem criação alguma e ainda dando espaços para o Atlético-MG. O próprio treinador admitiu o receio de perder a partida em entrevista coletiva.

- Pensamos em tirar um volante, fazia parte da ideia de jogo, mas avaliamos que o adversário estava sendo perigoso também. Teria que mexer em uma estrutura que defensivamente não deu errado. A defesa do Corinthians hoje (sábado) foi boa. O primeiro passo para vencer é não perder - explicou o treinador, ao ser questionado sobre as alterações feitas no segundo tempo.

É bem verdade que o Corinthians sofreu com desfalques e a comissão técnica ainda decidiu poupar alguns de seus principais jogadores por conta da sequência na temporada (seis partidas em apenas 16 dias). Apesar disto, um clube de tamanha grandeza não pode jogar em casa para um público de quase 30 mil torcedores com medo de perder. Desta forma, Osmar Loss dá argumentos para quem lhe quer fora do CT Joaquim Grava.