Mancini - Flamengo x Corinthians

Em duelo contra o Flamengo, de Ceni, Timão, de Mancini, foi derrotado por 2 a 1 (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)

Fábio Lázaro
16/02/2021
06:25
São Paulo (SP)

O ajuste defensivo foi um dos primeiros méritos de Vagner Mancini desde que assumiu o comando do Corinthians. No entanto, o Timão tem sofridos problemas atrás, principalmente no que se deve a jogadas aéreas.

Para o treinador, o fato da zaga ter diminuído a estatura, com a saída de Jemerson, entregue ao Departamento Médico após sofrer uma torção no tornozelo na vitória corintiana sobre o Sport, pela 31ª rodada do Brasileirão, no dia 21 de janeiro, e a entrada do uruguaio Bruno Méndez nas últimas cinco partidas, foi um fator preponderante.

> Veja a classificação do Brasileirão e simule os próximos jogos

Além disso, nos últimos três jogos o Timão entrou em campo com uma formação diferente, sem o centroavante Jô, de 1,89m, e que ajudava principalmente nos escanteios contrários, e com a entrada de Léo Natel, fazendo a função de falso nove. Natel mede 1,79m.

– Nos últimos jogos a gente acabou diminuindo a estatura do time e a gente vem sofrendo com isso, seja em escanteios, em faltas laterais ou até naqueles lances em que a gente briga pela segunda bola. A saída do Jô e a saída do Jemerson fizeram com que a gente tivesse uma estatura menor e a gente tem sofrido com isso sim – disse o treinador corintiano em entrevista coletiva virtual concedida após a derrota por 2 a 1 para o Flamengo, no último domingo (14), pela 36ª rodada do Brasileirão, no estádio do Maracanã.

Ainda que houvesse a explicação da diminuição do tamanho, Mancini afirmou que alguns gols sofridos não possuem justificativas, gerando, inclusive, um incômodo pessoal.

– Não justifica alguns gols que foram tomados, porque aí algumas outras coisas entram em cena, que são tão importantes quanto ter estatura, você atacar a bola, minimizar algum tipo de erro, então estamos pecando em algumas coisas, em alguns detalhes e por isso temos tomado muitos gols, isso me incomoda muito, porque a segurança defensiva de uma equipe é tomar poucos gols para que você possa ganhar a maioria das partidas – pontuou o treinador corintiano.

Na reta final do Campeonato Brasileiro, o Corinthians briga pela última vaga para a pré-Libertadores. A derrota para o Fla tirou o Timão do oitavo lugar e o colocou no 10ª. Nesta quarta-feira (17), o time de Parque São Jorge visita o Santos, na Vila Belmiro, às 20h, em jogo atrasado da 30ª rodada do Brasileirão, e que também servirá como confronto direto para as pretensões corintianas na competição.