Arena Corinthians

Corinthians está cada vez mais próximo de vender o naming rights da Arena (Foto: Divulgação/Corinthians)

Alexandre Guariglia
24/08/2020
18:03
São Paulo (SP)

Nesta segunda-feira, o torcedor corintiano voltou a ficar empolgado com uma possível venda dos naming rights da Arena Corinthians. Isso porque, segundo Lauro Jardim, colunista do jornal "O Globo", o clube está negociando com a Magazine Luiza para dar nome ao estádio pelos próximos 30 anos pelo valor de R$ 350 milhões. O LANCE! confirmou que a empresa é uma das interessadas.

Nota da redação: No começo da noite desta segunda-feira, a Magalu veio a público para negar qualquer negociação com o Corinthians pelos naming rights da Arena. Confira os detalhes da negativa neste link.

Nos últimos dias, a tão sonhada venda dos naming rights da Arena se tornou uma possibilidade real. As primeiras informações sobre o negócio foram dadas pelo ex-jogador Neto, no programa "Donos da Bola", da Band. Em seguida novas revelações sobre o tema foram publicadas por outros veículos. Nesse embalo, no último domingo, Andrés Sanchez esquentou o tema em seu Twitter.

- Estamos bem perto. Já já vem, mas nunca esteve na camisa do Timão - disse.

A manifestação do presidente veio poucos dias depois de o clube emitir nota oficial desmentindo que as negociações de cessão dos naming rights já estivessem concluídas. Naquela mesma ocasião, Sanchez escreveu em suas redes sociais que havia conversas em curso e reconheceu a possibilidade de ter boas notícias para a torcida "em breve", o que deve vir em setembro.

Segundo apurou o LANCE!, a negociação para a venda dos naming rights está mesmo próxima de ser concluída por cerca de R$ 350 milhões. Há divergências pelo tempo de exploração do estádio, já que fontes indicam 20 anos e outras 30. O mistério também se encontra no nome da empresa, já que o tema é tratado com muito sigilo, mas a reportagem confirmou que a Magazine Luiza é uma das empresas que já negociaram com o clube em algum momento.

A comercialização dos naming rights, que se arrasta sem conclusão há quase uma década, é um grande desejo da Fiel e das gestões mais recentes, pois daria considerável alívio para o pagamento do financiamento do estádio, que no momento passa por renegociações em várias frentes.