Sérgio Díaz

Sérgio Díaz em treino do Corinthians (Foto: Marco Galvão/Fotoarena)

Marcio Porto
15/09/2018
06:15
São Paulo (SP)

Após dois jogos (Flamengo e Palmeiras), o técnico Jair Ventura já tem um foco principal a trabalhar nos próximos jogos. O treinador e sua comissão estão em uma espécie de força-tarefa para melhorar o desempenho ofensivo, maior deficiência após a equipe sofrer um gol nos embates com o novo comandante. Esse foco, entre outras coisas, abre caminho para uma novidade: a estreia do atacante paraguaio Sérgio Díaz, de 20 anos.

Contratado em julho por empréstimo do Real Madrid (ESP), Díaz não atua desde novembro do ano passado, quando passou por uma cirurgia no joelho direito na época em que defendia, também por empréstimo, o Lugo, da segunda divisão espanhola. 

Díaz foi relacionado pela primeira vez para um jogo na última quarta-feira contra o Flamengo, pela Copa do Brasil, mas não entrou. Isso deve acontecer neste domingo contra o Sport na Arena, pelo Campeonato Brasileiro. Ele tem treinado com frequência nos últimos dias após recuperar a condição física ideal e tem mostrado desempenho que agradou à comissão. 

Até porque a necessidade de melhora no setor de criação é urgente. O Corinthians é um dos times que menos finaliza no Campeonato Brasileiro e contra o Flamengo não acertou uma bola no gol. Todos os atacantes passam por uma seca de gols. Romero, por exemplo, não marca há dez jogos. O paraguaio tinha se destacado recentemente com boa sequência de gols, mas parou de marcar. Espaço para o surgimento de alternativas.

Neste sábado, Jair comandará o último treino antes de encarar o Sport e, além de esboçar o time, focará novamente no ataque. No treino desta quinta, ele priorizou as finalizações e cruzamentos. Pode pintar novidades na escalação. 

Serão três jogos dentro de casa em sequência. Depois do Sport, haverá duelo contra o Internacional no próximo fim de semana, ainda pelo Brasileiro, e na outra quarta-feira, o jogo de volta da semifinal contra o Flamengo. A Copa do Brasil é a prioridade, e até lá o técnico espera que seu ataque esteja calibrado. Vai precisar fazer gols se quiser decidir no tempo normal, após empatar em 0 a 0 no Maracanã. Marcar, nem que seja numa bola só.

- Não sei o que o Jair vai fazer, mas ele terá semana livre para trabalhar e com o apoio da nossa torcida, creio que vamos com proposta diferente, de vencer o jogo e passar à final. Se não for, a gente vai para se defender, jogar por uma bola e passar. Não é hora de jogar bonito, é hora de saber reconhecer as limitações e vencer os jogos - analisou o atacante Clayson.