Marcio Porto
04/01/2019
12:50
São Paulo (SP)

O Corinthians apresentou nesta sexta-feira um torcedor do clube na infância como reforço para a temporada 2019. Volante de 24 anos, Richard relembrou seu passado alvinegro em sua primeira entrevista coletiva no CT Joaquim Grava. O atleta que veio do Fluminense destacou a campanha do Mundial de 2012 como momento mais marcante como torcedor e citou até a provocação ao rival Palmeiras, que nunca venceu a competição, segundo seus adversários.

- O grande momento que eu lembro como torcedor foi o título do Mundial. Eu estava no Comercial de Ribeirão, assistindo lá, tive oportunidade de ver o Corinthians ser campeão. Quem não é corintiano, não gosta do Corinthians. E a gente brincava, levar na brincadeira, e o Palmeiras não foi, tinha a brincadeira sadia, legal, esse momento ficou marcado - afirmou Richard.


A paixão do volante foi confirmada pelo Corinthians, que publicou em suas redes sociais fotos do jogador com a camisa do clube quando criança. Mas o sonho de Richard, que assinou contrato de quatro anos, ficou muito perto de não ser concretizado. Isso porque há pouco mais de um ano ele quase encerrou a carreira. Estava no Atibaia, interior de São Paulo, e já não tinha mais esperanças no futebol. Ele trabalhava com peças de caminhão.

- Um ano e meio, eu estava pensando em parar de jogar. Já estava trabalhando em outra função, com cardan (auto-peça) de caminhão. Eu estou hoje vivendo o melhor sonho, pensei em parar já, o que Deus fez na minha vida, a oportunidade que estão me dando, e tenham certeza que vou agarrar essa chance - destacou o jogador. 


Richard iniciou como primeiro volante no Fluminense e chegou a marcar um gol contra o Corinthians na Arena, na vitória corintiana por 2 a 1 no Brasileiro do ano passado, mas disse também ser capaz de exercer como segundo. Deixa a critério do técnico Fábio Carille, a quem fez elogios na coletiva. 

Confira a entrevista de apresentação do reforço:

Como é ter sido torcedor e agora jogador?
Hoje mais do que nunca me sinto muito realizado, por tudo que está acontecendo na minha vida. Realizo um sonho de criança. Por mais que a gente passe por outros clubes, a gente nunca perde a identidade, sempre é torcedor, até porque minha família toda é, sempre foi. Espero ter um ano de vitória em 2019, realizar meus companheiros da melhor maneira possível.

Disputa por posição
É uma disputa saudável, sadia. Quem tem a ganhar com isso é o Corinthians. Vai ser uma disputa em que todos vão querer sua vaga. Eu não vim para ficar no banco, eu vim para jogar. Com todo respeito aos outros. São exemplos para mim, como o Ralf. Chegar ao vestiário e ver Cássio, Fagner. Eu acompanhei sendo campeão da Libertadores, Mundial, me sinto realizado estando ao lado deles.

Características
O Carille vai colocar quem estiver melhor para jogar. Sou primeiro volante. Um cara que segura bem na frente da zaga. E corro pelos meus companheiros. Estou aqui para ajudar. Espero fazer um ano de sucesso, ter oportunidade de jogar. No momento certo, as coisas vão começar a fluir. O Corinthians vai voltar a levantar as taças.

Torcida do Corinthians pode esperar
É um privilégio. A torcida não precisa pedir para mim raça, porque além de jogador eu sou torcedor. O mesmo sentimento que eles vão ter, eu também vou ter, de perder uma competição. Porque vou dar minha vida pelo Corinthians. A oportunidade que eu tenho hoje é de ouro, de dar a vida.

Parentes reclamaram quando fez gol no Corinthians?
Deram uma cornetada, sim. Aquele gol foi o primeiro meu com a camisa do Fluminense, no primeiro jogo do Brasileirão, contra o time que eu torcia desde criança. Foi muito especial para mim, tenho até o quadro em casa com a imagem do gol. Tanto que nem consegui comemorar, me emocionei muito na hora. Fiquei muito feliz de fazer o gol.