Atlético-MG x Corinthians - Jô

Jô contra o Atlético-MG: foi dele o gol da última vitória corintiana fora de casa (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

Rafael Franco
11/11/2021
08:00
São Paulo (SP)

Dono da terceira melhor campanha como visitante ao final do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, o Corinthians amarga uma expressiva queda de desempenho longe de seus domínios na segunda metade da competição. Ao ser derrotado por 3 a 0 pelo Atlético-MG na noite da última quarta-feira, no Mineirão, o Alvinegro completa, nesta quinta, 75 dias sem vitórias fora de casa.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

GALERIA
> Veja até quando vai o contrato de cada jogador do Corinthians

O último triunfo corintiano em um confronto distante de Itaquera ocorreu no dia 28 de agosto, quando superou o Grêmio por 1 a 0, em Porto Alegre, pela 18ª rodada do Brasileirão. Depois disso, o Timão contabilizou seis partidas de jejum como visitante. Esta série começou com um empate por 1 a 1 com o Atlético-GO e foi ampliada com igualdade com o Red Bull Bragantino (2 a 2), derrotas para São Paulo e Sport (ambas por 1 a 0), um novo empate com o Internacional (2 a 2) e finalmente este último revés sofrido diante do Galo (3 a 0), 

Apesar desta sequência ruim, o Corinthians ainda é o quinto melhor visitante do torneio, com 22 pontos somados nesta condição. Porém, apenas três destes pontos foram somados no segundo turno, no qual a equipe voltará a atuar fora de casa na próxima quarta-feira, quando enfrentará o Flamengo, no Maracanã.

Antes de começar a amargar este incômodo jejum, o Timão fechou a metade inicial do Brasileirão com cinco vitórias, quatro empates e somente uma derrota em partidas distantes dos seus domínios. Porém, no segundo turno, a equipe comandada pelo técnico Sylvinho já tomou 10 gols fora de casa.

O desempenho ruim recente do Timão como visitante está sendo compensado pelo ótimo retrospecto como mandante neste turno derradeiro, no qual a equipe acumula cinco vitórias e um empate em seis partidas realizadas em Itaquera. Mas o treinador corintiano não escondeu a decepção com a derrota desta quarta-feira, quando Cássio e Renato Augusto cometeram falhas decisivas para os dois primeiros gols marcados pelos atleticanos no Mineirão. 

- Outro detalhe importante do jogo é que cada vez que se erra contra um adversário dessa qualidade, você paga um preço muito caro. Ninguém fica feliz com os três gols (tomados), perder já não é bom e um resultado elástico como esse é pior. Mas é o preço que se paga quando a qualidade do outro lado é grande e você comete um erro ou outro - analisou o comandante,

No primeiro turno deste Brasileirão, o Corinthians tomou apenas quatro gols em dez jogos fora de casa, onde balançou as redes dos rivais por oito vezes. Entretanto, agora vê o jejum como visitante pesar para que siga fora do G4 da competição, a zona de classificação direta à fase de grupos da Copa Libertadores. Com 47 pontos, o Timão ocupa o sexto lugar, enquanto Fortaleza e Bragantino, respectivos quarto e quinto colocados, estão empatados com 49. 

JÔ GARANTIU A ÚLTIMA VITÓRIA FORA DE CASA

O último triunfo fora de casa do Corinthians foi garantido com um gol de Jô, que hoje está na reserva da equipe, apesar de ser o principal artilheiro do time na temporada, com nove bolas nas redes, e também ser o líder em assistências, com seis. Nesta quarta-feira, ele entrou na equipe alvinegra durante o segundo tempo do duelo com o Atlético-MG, mas pouco conseguiu aparecer no jogo.

E Sylvinho insistiu novamente em escalar Renato Augusto como atacante, em opção tática que já não havia funcionado contra o Fortaleza, no último sábado, quando o jogador depois foi recuado para atuar como meia, a sua posição de origem, na etapa final e rendeu finalmente o melhor do seu futebol.

E Jô foi decisivo ao entrar no segundo tempo e dar o passe para Cantillo fazer o gol da vitória sobre a equipe cearense na Neo Química Arena. Antes disso, o atacante já havia servido Róger Guedes para garantir o triunfo sobre a Chapecoense, em outro duelo em Itaquera. Apesar disso, Sylvinho continua optando por deixar Jô no banco e só utilizá-lo no decorrer das partidas..

- Muitas vezes a gente mudou o time no meio tempo, e isso tem ajudado. Quando você muda o time, potencializa ele, o resultado ainda vem. E você faz um volume maior. Isso é mérito de quem está trabalhando. Ah, mas me perguntam: 'Por que você não fez isso antes'? Senhores, o futebol tem um primeiro tempo, tem um segundo, ele se abre. eu gostaria de ganhar todo jogo de 5 a 0. Todos os treinadores queriam fazer isso, só que o jogo se mostra. Você faz um trabalho, se mostra. E você consegue conduzir um segundo tempo melhor ainda do que o primeiro, ter o resultado e a performance, isso é mérito - analisou o comandante em entrevista coletiva após a derrota para o Galo.

- Tem gente que prefere olhar dizendo: 'E esse ele tivesse feito isso no primeiro tempo'? Mas quem me garante? Quem consegue me garantir que se eu fizesse isso no primeiro tempo o resultado seria de 5 a 0 para nós? Não é isso. Futebol se joga em 90 minutos e mais os acréscimos - completou Sylvinho, em um discurso um pouco confuso ao comentar as opções que vem adotando.

Antes de tentar quebrar o seu jejum fora de casa, o Corinthians voltará a campo pelo Brasileirão neste sábado, quando receberá o Cuiabá, às 21h, na Neo Química Arena, pela 32ª rodada da competição. A preparação para o duelo começará com um treinamento marcado para a tarde desta quinta-feira.