Gilvan - Botafogo x Vitória

O Botafogo garantiu mais um jogo sem sofrer gol (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

João Alexandre Borges
01/07/2021
06:00
Rio de Janeiro (RJ)

Contestado nas últimas partidas, o sistema defensivo do Botafogo "deu a volta por cima" e se destacou na noite do último domingo, quando o Alvinegro derrotou o Vitória por 1 a 0, em jogo válido pela oitava rodada da Série B. O resultado no Estádio Raulino de Oliveira, inclusive, confirmou uma tendência da equipe de General Severiano: em todas as vitórias na competição até aqui, o time não sofreu gols.

> Nova camisa lançada! Relembre os últimos uniformes II do Botafogo

Fora Chay, que marcou o gol da vitória, os principais destaques do Botafogo estão na defesa. Segundo dados do site "SofaScore", o zagueiro Gilvan, por exemplo, contribuiu com sete duelos ganhos pelos chão, oito duelos ganhos pelo alto, quatro desarmes, duas interceptações e nenhum drible sofrido.

> Veja a tabela da Série B

Outro número que chama a atenção é o de desarmes certos do Botafogo na competição. Segundo o "FootStats", até a oitava rodada, o time de Chamusca é o sexto com o maior número nesse fundamento, com 100. A equipe, inclusive, tem um jogo a menos na Série B, e está a apenas nove desarmes de distância do Goiás, o segundo colocado no quesito.

Ainda vale ressaltar a "qualidade" nos desarmes tentados até a oitava rodada. O Botafogo, apenas atrás do Náutico, é o segundo time que menos erra nesse fundamento (dez). Ou seja, o sistema defensivo do Alvinegro tem sucesso em 90,91% dos desarmes que tenta.

Por outro lado, na partida da última quarta-feira, o Botafogo deixou - e muito - a desejar no setor ofensivo. No primeiro tempo, a equipe conseguiu cinco finalizações, mas apenas uma delas teve a direção da meta defendida por Ronaldo. Na etapa final, os números melhoraram, mas não foi tanto: sete finalizações, sendo duas no gol. Essa pequena evolução, contudo, já foi o suficiente para que o Alvinegro conquistasse os três pontos numa noite em que o próprio Chamusca admitiu que o time não se sobrepôs.

- A gente teve dificuldade de fazer a leitura que o adversário nos proporcionou. Nós subíamos nosso bloco e o Vitória não saía a bola com os zagueiros, eles jogavam a bola no Dinei, mas nós tínhamos dificuldade para ganhar a segunda bola. Pedimos para os volantes se compactarem da linha de quatro e o Chay trabalhar mais próximo dos volantes, a gente passou a ter mais controle do jogo no segundo tempo. O time circulou mais a bola nos corredores - disse.

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Um dos desafios do time comandado por Marcelo Chamusca, portanto, é esse: fazer mais rapidamente a leitura do jogo para marcar gols e, assim, aproveitar o bom desempenho do sistema defensivo. Isso será posto a prova já no próximo sábado, quando o Botafogo visita o Avaí, na Ressacada, às 21h, em partida válida pela nona rodada da Série B.