Matheus Nascimento e Túlio Maravilha - Botafogo

Encontro de gerações no Botafogo (Foto: Divulgação/Botafogo)

Sergio Santana
12/09/2019
15:05
Rio de Janeiro (RJ)

Fora das quatro linhas, a partida contra o Atlético-MG, no último domingo, no Nilton Santos, foi marcada por um encontro de gerações para o Botafogo. Túlio Maravilha, herói do título brasileiro de 1995, estava na arena para participar de uma ação com os torcedores alvinegros no Setor Oeste. A presença do icônico camisa 7 permitiu que Matheus Nascimento, uma das principais promessas do clube, encontrasse a referência do Glorioso de 24 anos atrás.

> CONFIRA A TABELA DO BRASILEIRÃO

Assim como Túlio Maravilha, Matheus Nascimento é atacante, mas carrega o número 9 nas costas. Destaque da equipe sub-15, o jovem subiu de categoria ainda esse ano e, após um período de adaptação, já começa a se destacar no elenco sub-17 do Glorioso, apesar da idade baixa - o atleta fez 15 anos no começo de março. Em exclusividade ao LANCE!, a promessa comentou sobre o encontro com o herói do título nacional de 1995.

- Sempre gosto vir aos jogos no Nilton Santos e de acompanhar o Botafogo. E esse jogo foi bastante especial, além da grande vitória do time, pude encontrar o Túlio no intervalo. Ele me deu um abraço e falou muitas coisas boas. É um ídolo, uma referência para mim. Quero continuar trabalhando para um dia também fazer uma bonita história aqui, assim como ele fez - afirmou.

O Botafogo trata a carreira de Matheus Nascimento com cautela. Destaque da Seleção Brasileira sub-15, o atacante ainda não pode assinar um contrato profissional por conta da idade, já que a Fifa permite a assinatura de vínculo definitivo apenas quando um jogador completa 16 anos. Apesar disto, o clube está resguardado por um contrato de formação junto ao atacante, o que deve manter o jovem atacante em General Severiano até a construção de um vínculo em definitivo.

É um mistério se Matheus Nascimento repetirá os passos de Túlio Maravilha no Botafogo. A missão, sem dúvidas, será complicada: acumulando três passagens - entre 1994 e 1996, 1998 e 2000 -, o ex-camisa 7 participou de 134 partidas e marcou 66 gols, mantendo uma média de 0,49 tento por duelo.