John Textor - Botafogo

John Textor, futuro dono do Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Sergio Santana
11/02/2022
05:00
Rio de Janeiro (RJ)

Choque de ordem. Semanas após chegar na realidade do Botafogo e já na fase final de assinatura do contrato definitivo da compra da SAF, o empresário John Textor já realizou uma série de mudanças no clube. E a coisa não deve parar por aí. A semana ainda reserva ainda mais novidades para o Glorioso. Essas são as primeiras ações do Alvinegro tendo um "dono" no comando.

+ Água no pescoço: Textor avalia mudanças no Botafogo e Enderson está ameaçado como técnico

John Textor tem como filosofia a valorização das categorias de base e desenvolvimento de jovens jogadores. Por isso, times de equipes inferiores são das prioridades do empresário. Eduardo Freeland, com experiência no setor - no próprio Botafogo e Flamengo - aceitou 'cair' no organograma do Alvinegro para liderar o novo projeto do clube.

O antigo diretor de futebol viajará para Londres na semana que vem acompanhado de Durcesio Mello, presidente do Glorioso, para conhecer o CT do Crystal Palace, outro clube que John Textor possui ações. A intenção é criar um padrão do que vem dando certo - vale ressaltar que os Eagles possuem uma das melhores estruturas da Inglaterra no que diz respeito aos times inferiores.

CTs de outros clubes também estão em pauta, mas ainda não são certos no itinerário de Freeland na Europa. O dirigente será o responsável por guiar e liderar a reestruturação das categorias de base, do aspecto técnico ao estrutural. Além disso, haverá relações com os times inferiores do Crystal Palace-ING, FC Florida-EUA e RWD Molenbeek-BEL na criação de uma "rede".

+ Enderson é expulso em Botafogo x Fluminense, xinga e mostra dedo do meio para o árbitro

FUTEBOL PROFISSIONAL
André Mazzuco, com passagens recentes por Santos, Cruzeiro e Vasco, chega para a vaga de Eduardo Freeland na equipe profissional do Botafogo. Uma das razões as quais Textor optou pela contratação foi que ele já trabalhou em clubes com donos - teoricamente, estaria acostumado à dinâmica.

Ele será o homem forte do futebol do Botafogo, sendo um dos principais responsáveis na busca por reforços. No que diz respeito a isso, o clube também buscou reforçar o setor de análise de mercado: Alessandro Brito, ex-Atlético-MG, chegou para a equipe.

Raphael Rezende, contratado como Head Scout no início do ano, fica no clube. A intenção é somar e buscar que as duas funções se complementem. O fato é que o Glorioso fica mais equipado no mapeamento de mercado e busca por jogadores na América Latina - o foco do clube na busca por jogadores.

Enderson Moreira
Enderson, do Botafogo (Foto: Vitor Silva/Botafogo)

ENDERSON MOREIRA
​Se o cenário aparece com pessoas chegando ou sendo remanejadas, a coisa não é recíproca para Enderson Moreira. Há a possibilidade do treinador ser desligado do cargo ainda nesta sexta-feira. John Textor não o considera como o "nome certo" para guiar essa primeira fase de reestruturação do Botafogo.

A decisão estava tomada mesmo antes da derrota para o Fluminense, em clássico pelo Campeonato Carioca. O nome favorito de Textor é um técnico estrangeiro, mas todas as possibilidades serão discutidas com a equipe de futebol até um consenso aparecer.

A "Era John Textor" oficialmente começou. O primeiro choque de ordem vai diretamente no futebol do Botafogo, que pode ter ainda mais mudanças em breve. O norte-americano tem planos definidos.