Sérgio Sette Câmara - Presidente do Atlético-MG

Sette Câ,ara vem sofrendo críticas em sua gestão, desde que assumiu o clube, em 2018-Foto: Bruno Cantini / Atlético-MG

Valinor Conteúdo
25/04/2019
16:42
Belo Horizonte

O empresário Fabiano Lopes Ferreira, que lidera um grupo de oposição à atual diretoria do Atlético-MG, escreveu uma carta aberta direcionada ao presidente do Galo, Sérgio Sette Câmara, pedindo a sua saída do comando alvinegro.

Fabiano, que é conselheiro do clube e foi candidato à presidência em 2017, perdendo para Sette Câmara, questiona os rumos da diretoria na condução do futebol e na área administrativa atleticana, ressaltando as falhas alvinegras dentro e fora de campo nos últimos tempos.

-Senhor presidente, com todo o respeito que tenho pelo senhor, como colega advogado e presidente do clube do meu coração, vou ousar a lhe dizer que não dá mais! Presidente, o senhor está no comando do clube desde dezembro de 2017, e até agora o senhor não conquistou nada! Não fez nada! E nós atleticanos apaixonados que somos, não aguentamos mais!- escreveu na carta.

Fabiano citou também os maus negócios feitos pela diretoria capitaneada por Sette Câmara, como a contratação de jogadores que não renderam bem e do técnico Levir Culpi, que deveria ter sido demitido há mais tempo em sua visão.

-Ao assumir a presidência do clube, o senhor anunciou que a sua prioridade era equacionar as dívidas do Atlético. Logo já achei estranho porque, até quando eu estive na presidência do Conselho Fiscal, as grandes dívidas do clube eram com o ex-presidente Ricardo Guimarães e com o Fisco e ambas já estavam equacionadas- relata.

Até o estádio foi colocado em xeque pelo opositor.

-O senhor precisa olhar com muita atenção esta questão da permuta dos 50,1% do Shopping Diamond para a construção do Estádio do Galo. Todos nós atleticanos queremos um estádio para o Atlético, mas, esta negociação que foi feita, não entendemos bem. Veja: O Atlético cedeu para a Multiplan 50,1% do Shopping, por R$ 250.000.000,00. Contudo, foi concedido uma prorrogação de mais 4 anos no arrendamento do Shopping à Multiplan. Acontece que, pelo balanço de 2016, o qual tenho em meu poder, a Multiplan está repassando ao Atlético 15% do faturamento do Shopping o que, em 2016, em números redondos, o valor importou em R$62.000.000,00. Assim sendo, nos quatro anos da prorrogação, os 15% somariam R$248.000.000,00. Ou seja, a grosso modo, podemos entender que o Atlético cedeu 50,1% do Shopping por apenas R$2.000.000,00! Seria isso?- questionou.