Marquinhos resolveu provocar o rival Cruzeiro, que está na Série B do Brasileiro

Marquinhos diz que os jogadores só sabem se serão titulares momentos antes do jogo-(Pedro Aleixo/Atlético-MG)

Valinor Conteúdo
10/08/2020
15:54
Belo Horizonte

Quando a escalação do Galo foi anunciada para o duelo contra o Flamengo (vitória alvinegra por 1 a 0), os torcedores do alvinegro e até rivais ficaram “assustados” com as mudanças promovidas por Jorge Sampaoli, em relação ao time que jogara contra o América-MG, quatro dias antes.

Apesar da surpresa externa, os atletas atleticanos não demonstraram estranhamento com a atitude do chefe, pois já foram informados que não haverá escalação fixa ou mesmo um único sistema de jogo, para sempre ter como se adaptar ao estilo dos adversários.

O atacante Marquinhos, que iniciou o jogo contra o Fla como titular, explicou que o argentino treina bastante as variações táticas para poder formatar diversas formações em campo, dependendo da equipe que o Galo enfrentará.

- Está sendo novo para nós também, um cara que muda o esquema sempre em cima da hora. Quando ele vê que o outro time vai jogar de uma forma que vai complicar, ele já muda a formação. Isso é importante. O mais legal que eu acho, é que ele treina todos os tipos de escalação que ele quer. Então não é uma escalação surpresa. Ele treina todo mundo da mesma forma, treina o time de várias formas para poder chegar na hora do jogo ele poder fazer isso-disse o atacante.

Na estreia do Brasileiro, diante do Flamengo, Sampaoli escalou sua equipe com três zagueiros, sem centroavante e no segundo tempo ainda fez cinco mudanças no time, alterando ainda mais o esquema tático.

Jogadores que foram titulares nos clássicos contra o América-MG, como o zagueiro Réver e os atacantes Keno e Marrony ficaram no banco de reservas para as entradas de Marquinhos e dos zagueiros Gabriel e Igor Rabello.

- Não tem titular. O Sampaoli já deixou isso bem claro. Todos que estão no grupo são titulares, vão ser utilizados. O time está totalmente junto, todo mundo unido com quem jogar. Tenho certeza que vai fazer o melhor, se for eu, se for o Keno, se for o Savarino, ou o Otero- comentou Marquinhos, que revelou que o elenco só sabe quem irá começar jogando pouco antes das partidas.

- Ele treina o time titular, que são todos, não são só 11. A gente não sabe quem vai entrar jogando, não sabe quem vai começar ali entre os 11. É complicado de saber, a gente fica na tensão, na expectativa. Na preleção é onde ele solta o time-contou.

A estratégia de Jorge Sampaoli deve se repetir nesta quarta-feira,12 de agosto, no Mineirão, quando o Galo recebe o Corinthians, às 19h15, pela segunda rodada do Brasileirão.