Camisa - Atlético-MG

A Topper ainda estampa sua marca na camisa do Galo até o inicio da parceria com a francesa Le Coq, que se iniciará no fim de abril-(Imagens: Reprodução de internet)

Valinor Conteúdo
02/04/2019
18:17
Belo Horizonte

O Atlético-MG cobra na Justiça Comum cerca de R$ 3,4 milhões da Topper, sua ex-fornecedora de de material esportivo. O clube mineiro entrou com um processo contra a empresa,alegando que ainda tem valores a receber da fornecedora, com quem tinha contrato até 2020, mas rescindiu recentemente para dar lugar à francesa Le Coq Sportiff, que assuma o fornecimento no fim de abril.

A primeira informação foi publicada pelo jornal O Tempo e confirmada pelo L!.

O processo do Galo contra a Topper está na 24ª Vara Cível da Comarca de Belo Horizonte e conta com uma pasta de documentos que ainda serão analisados pelo judiciário.

O contrato entre Atlético-MG e Topper foi rescindido pelas dificuldades da empresas em conseguir atender o clube mineiro na distribuição e entrega de materiais para revenda e ainda para as equipes de futebol do Galo.

A reportagem tentou contato com a Topper, mas sem sucesso, pois a empresa fazia a assessoria de imprensa da marca disse que não trabalha mais para a Topper.