icons.title signature.placeholder Verônica Souza
icons.title signature.placeholder Verônica Souza
24/07/2013
10:33

Os problemas no Bahia não param de aparecer. Além dos salários atrasados, agora o site oficial do clube saiu do ar por falta de pagamento aos serviços da empresa responsável por administar a página e o telefone da sede administrativa foi cortado pelo mesmo motivo. Os problemas financeiros do clube chegaram a fazer com que membros da diretoria comprassem analgésicos para os atletas com dinheiro do próprio bolso, conforme o LANCE!NEt. antecipou.

- A empresa responsável pelo site não recebe do Bahia desde janeiro, mas o marketing do clube havia negociado a dívida. O que aconteceu é que após a intervenção, membros do departamento foram destituídos dos seus cargos e o interventor não tinha consciência desse "acordo". Dessa maneira, a empresa não conseguiu contato com o setor e decidiu suspender os serviços na noite da última terça-feira - explicou a assessoria do clube, em entrevista ao LANCE!Net.

Além da empresa de tecnologia, os jogadores do Esquadrão também estão com seus salários atrasados, mas a situação é ainda mais delicada para os que não estão atuando regularmente pelo clube, segundo o interventor Carlos Rátis - que não divulgou o tempo de atraso. Nesta semana, os funcionários cujo vencimento é inferior a R$5 mil receberam seus benefícios, os demais ainda aguardam uma atitude do clube.


Os problemas no Bahia não param de aparecer. Além dos salários atrasados, agora o site oficial do clube saiu do ar por falta de pagamento aos serviços da empresa responsável por administar a página e o telefone da sede administrativa foi cortado pelo mesmo motivo. Os problemas financeiros do clube chegaram a fazer com que membros da diretoria comprassem analgésicos para os atletas com dinheiro do próprio bolso, conforme o LANCE!NEt. antecipou.

- A empresa responsável pelo site não recebe do Bahia desde janeiro, mas o marketing do clube havia negociado a dívida. O que aconteceu é que após a intervenção, membros do departamento foram destituídos dos seus cargos e o interventor não tinha consciência desse "acordo". Dessa maneira, a empresa não conseguiu contato com o setor e decidiu suspender os serviços na noite da última terça-feira - explicou a assessoria do clube, em entrevista ao LANCE!Net.

Além da empresa de tecnologia, os jogadores do Esquadrão também estão com seus salários atrasados, mas a situação é ainda mais delicada para os que não estão atuando regularmente pelo clube, segundo o interventor Carlos Rátis - que não divulgou o tempo de atraso. Nesta semana, os funcionários cujo vencimento é inferior a R$5 mil receberam seus benefícios, os demais ainda aguardam uma atitude do clube.