icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
14/11/2014
15:40

Os dirigentes de Atlético-MG e Cruzeiro se reunirão, nesta terça-feira, às 14h, com Castellar Neto, presidente da Federação Mineira de Futebol (FMF), para definirem as questões de torcida envolvendo o jogo de volta da final da Copa do Brasil, no Mineirão. A Raposa, mandante do duelo, disponibilizará ingressos para os visitantes no dia 26 de novembro.

A cúpula celeste, através do gerente de futebol Valdir Barbosa, confirmou, nessa quinta-feira, que o encontro foi com o consentimento do presidente Gilvan de Pinho Tavares e que o mandatário é favorável à distribuição de bilhetes para os torcedores adversários.

Os valores das entradas para os atleticanos ainda não foi divulgado, mas não deve ultrapassar os R$ 700, tíquete mais caro na partida. Conforme o parágrafo primeiro do artigo 24 do Estatuto do Torcedor, "os valores estampados nos ingressos destinados a um mesmo setor do estádio não poderão ser diferentes entre si, nem daqueles divulgados antes da partida pela entidade detentora do mando de jogo".

Na partida de ida da decisão, a torcida celeste não teve acesso ao Independência. O imbróglio envolvendo a situação dos ingressos se iniciou quando o presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, decidiu disputar os clássicos com entradas para visitantes. O Cruzeiro exigiu 2.331 tíquetes à diretoria adversária, que ofereceu 1.871 alegando ser a capacidade do setor para a torcida rival no Independência.
Até esta quinta-feira, o mandante da finalíssima comercializou 33 mil ingressos, incluindo os filiados às modalidades do programa Sócio do Futebol – Copa do Brasil, Brasileiro, Libertadores e Tríplice Coroa – que garantem acesso ao estádio.