icons.title signature.placeholder Luiz Signor e Vinícius Faustini
01/11/2014
13:50

O trabalho de Claudio Tencati à frente do Londrina, seu clube desde 21 de abril de 2011, já vinha sendo considerado satisfatório até o início desta temporada. Eis que veio o título do Campeonato Paranaense e o consequente assédio. O treinador revelou ter sido procurado por clubes das Séries A e B, o que resultaria em um grande salto na carreira. No entanto, ele não sentiu que teria tempo para desenvolver o seu trabalho e optou por dar sequência no Tubarão, que, neste sábado, busca a final da Série D. Faltou fé na aposta dos clubes interessados.

– Teve muito assédio, muita especulação. Falo especulação, pois proposta é quando a pessoa vem, o dirigente vem e fala: "Olha, você tem isso de salário, nós confiamos que você pode fazer um bom trabalho, você vai ter tanto tempo de trabalho e vamos assinar um contrato, um contrato por determinado período". Houve muito assédio, contatos, se tinha interesse, quais eram meus planos, meus interesses. Vários clubes me procuraram, mas nada evoluiu – destacou o treinador, ao LANCE!Net, antes de completar:

– Os clubes querem apostar, mas sem ter fé naquilo que ele está para apostar. Eu não saio daqui (Londrina) se não tiver um contrato. Estou em um trabalho bem executado, em um clube que está executando um bom trabalho. Então, quando era pedido o contrato, os clubes já davam uma recuada, pois talvez não tinham fé naquilo que eu poderia fazer. Houve muito recuo com relação a isso. Na exigência do contrato, os clubes recuavam. Houve um momento em que eu cheguei para o Sérgio (Malucelli, gestor do Londrina e seu empresário) e falei: "Vamos nos concentrar aqui, vamos deixar as especulações de lado. Se aparecer algo concreto, vamos tentar".

Tencati ainda citou quais clubes da Série B se interessaram pelo seu trabalho: os paranaenses Atlético e Coritiba, que haviam sido derrotados pelo Londrina no Paranaense, e o Criciúma.

– Foram clubes da Série B e clubes da Série A também. Estive quase certo com o Criciúma, o próprio Coritiba, o próprio Atlético-PR nessa transição (da saída) do Doriva. Meu nome foi cogitado, houve uma ligação do Atlético, mas, depois, não houve a confirmação.

– O Criciúma me procurou, acredito eu, pela boa impressão que ficou na Copa do Brasil (o Tigre foi eliminado pelos comandados de Tencati), o Coritiba já tem um namoro de quase um ano que ainda não deu certo e o Atlético foi uma surpresa também. Já os clubes da Série B estavam em situações complicadas, com atraso de salários e, por isso, preferi continuar no Londrina. Estamos com um bom trabalho aqui. O próprio Sérgio conta muito comigo para buscar esse título da Série D – completou.

E Tencati acredita que seu ciclo do Londrina ainda pode continuar, mesmo já tendo duração de 42 meses. Ele não descarta permanecer no clube para a próxima temporada, quando LEC defenderá o título do Paranaense e ainda participará da Copa do Brasil e da Série C. Buscar outros desafios também está no horizonte do treinador.

– Acredito que possa ter uma continuidade sim, até pela confiança depositada no trabalho. Em todo fim de temporada, chego para o Sérgio e falo: "Temos que trocar tantos jogadores, pois esses não têm mercado e não vão nos ajudar em campo, vamos ter que fazer ajustes". Ele sempre me deu essa liberdade. Nós, da comissão técnica, sempre procuramos crescer, não nos acomodamos, buscamos sempre melhorar aqui. Podemos vislumbrar um acesso à Série B ano ano que vem sim. Agora, se eu receber uma proposta concreta, uma coisa bacana, que é importante para o meu crescimento, nós vamos aceitar, pois meu propósito também é crescer na profissão – destacou Tencati.