icons.title signature.placeholder Cario Carrieri, Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
05/07/2014
10:03

A joelhada de Zúñiga nas costas de Neymar nem chegou a entrar na lista de faltas sofridas pelo craque brasileiro na Copa do Mundo. Até ser substituído, ele havia sofrido quatro faltas no jogo. No total, segundo as estatísticas da Fifa, foram 18 nos cinco jogos que ele disputou, média de 3,6 por partida.

Bem menos, por exemplo, do que o jogador que mais apanhou até o fim das oitavas de final do Mundial, o atacante chileno Alexis Sánchez, com 23 faltas em quatro jogos, quase seis por jogo.

Na Copa das Confederações do ano passado, Neymar apanhou mais. Sofreu 30 faltas em cinco jogos, média de seis por partida, recorde na competição.

Ontem, no entanto, a Seleção Brasileira bateu mais do que a Colômbia. Foram 31 faltas contra 23. Os meias James Rodríguez e Cuadrado, destaques colombianos, sofreram seis faltas cada um. Marcelo foi o mais faltoso, com cinco. Zúñiga fez duas.

Para Felipão, o árbitro espanhol Carlos Velasco Carballo foi omisso.

– Chorar o árbitro não vai, mas vai perceber que errou. Nós também dividimos umas bolas de forma mais ríspida e ele poderia ter dado cartão para os dois times, mas deixou o jogo correr, sem advertência. Agora, já terminou o jogo, não adianta falar, mas errou feio – disse Felipão.