icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/03/2014
14:53

É raro conhecer histórias de jovens atletas que tem apoio irrestrito dos pais quando decidem seguir a carreira de lutador. E com Vanessa Guimarães isso não foi diferente. Mais do que a desconfiança, a curitibana de 24 anos teve de superar a proibição de treinar artes marciais imposta pelo pai no início da carreira.

Obstáculo deixado para trás, neste sábado, dia 29 de março, Vanessinha, como é conhecida, faz sua primeira luta internacional da carreira, no XFCi3, em São Paulo, com transmissão nacional ao vivo pela RedeTV, diante da colombiana Marcela Yineris. O duelo vale vaga na final do GP peso-palha (até 52kg) do evento.

Vanessa Guimarães representa pela primeira vez a CM System, academia do lutador do UFC Cristiano Marcello, onde treina há seis meses. Em casa, com mais duas irmãs e um irmão, foi a única da família a optar pela carreira de lutadora. Para isso, precisou do apoio incondicional da mãe, Janeth.

- Minha mãe sempre me apoiou na luta e em tudo o que eu queria fazer, mas meu pai não gostava. Treinei e lutei um ano escondido dele, maquiando machucados, escondendo equipamentos de luta em casa, era uma loucura (risos). Minha mãe me dava cobertura. Tenho mais duas irmãs e um irmão, e nenhum deles é ligado ao mundo das lutas. Foi uma barreira que tive que superar com meu pai, mas hoje ele já apoia. Minha mãe sempre esteve comigo, até para comprar equipamentos, pagar aulas, em tudo mesmo - explicou.

Com um ano e meio de experiência no MMA e duas vitórias em quatro lutas, Vanessinha se lembra bem do início da carreira no muay thai, em 2007, e de como se encantou pelas artes marciais.

Vanessa é parte da equipe CM System (FOTO: Divulgação/Marcio Valle)

- Na primeira luta amadora, apanhei muito (risos). Muitos achavam que eu ia desistir ali, mas só meu deu ainda mais vontade de dar a volta por cima. E consegui. Depois daquela luta, fiz mais nove no muay thai amador e venci todas - conta.

Neste sábado, no XFCi3, sua adversária estreia no MMA, o que dificulta o estudo para o combate. Por conta da falta de informações, a curitibana está focada somente nos treinamentos e demonstra grande confiança.

- Não sei absolutamente nada sobre minha adversária. Procurei muito na internet, mas não achei nada. Também nem quero saber muito, só quero chegar lá e fazer o meu jogo. Vou para sair na porrada. Estou evoluindo como lutadora e quero provar isso no sábado - avisa.

Oportunidade internacional anima equipe
Líder da academia, Cristiano Marcello deposita muita confiança na nova pupila e já pensa no futuro. Com a experiência de quem já treinou estrelas como Wanderlei Silva e Maurício Shogun, na época do extinto Pride, e de já ter lutado diversas vezes em eventos internacionais, ele sabe que uma vitória dará outro cenário a Vanessa e à CM System.

- Estamos com muita vontade de ganhar essa luta, que é importante para ela por ser em TV aberta para todo o Brasil, em um evento internacional. Vamos entrar para ser campeões do GP e para abrir as portas para a Vanessa e para a CM System no mercado internacional - prevê.