icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/04/2014
07:24

Se por um lado o setor jurídico da Portuguesa segue lutando fora de campo pela volta do clube à Série A do Brasileirão, os jogadores lusitanos, por outro, não parecem muito envolvidos com a “guerra de liminares” existente na Justiça. Os atletas rubro-verdes demonstram vontade de enfrentar o Santa Cruz, neste sábado, no Estádio do Canindé, pela Série B.

Desde 2012 na Lusa, o goleiro Gledson afirmou estar com a cabeça focada no duelo deste fim de semana, contra o Tricolor de Pernambuco. O arqueiro até considera a possibilidade de algo fora do comum acontecer, mas prefere trabalhar com uma situação normal de jogo.

– Nosso objetivo e nosso pensamento é de jogar sábado contra o Santa Cruz. Se vai acontecer algo diferente, não sabemos. Nosso objetivo agora é trabalhar forte no resto da semana – declarou o atleta da Portuguesa.

Outro jogador a se pronunciar sobre a partida contra o Santa Cruz foi o atacante Romão. Após se recuperar de uma lesão sofrida em julho do ano passado, ele revelou estar ansioso para reencontrar a torcida lusitana no Canindé.

– Com certeza é um dia muito especial (próximo sábado). Desde que vim para cá, ainda não estreei no Canindé. Joguei só 15 minutos contra o Cruzeiro no Brasileiro do ano passado. Mas estou muito ansioso para que este dia chegue logo e para poder reencontrar logo a torcida e ajudar ao máximo a equipe, se possível com gols – afirmou Romão.

FORA DE CAMPO

Existe a possibilidade de a Portuguesa não mandar seu time a campo neste fim de semana, pela segunda rodada da Série B. Segundo informações do departamento jurídico do clube, se alguma liminar favorável à volta da Lusa à Série A do Brasileirão for obtida nos próximos dias, a equipe vai se considerar amparada legalmente a não realizar o duelo contra o Santa Cruz.

Na última sexta-feira, os jogadores deixaram o gramado da Arena Joinville aos 17 minutos do jogo contra o Joinville. A justificativa dada pelo clube é de que a liminar obtida pelo torcedor Renato de Britto Azevedo e emitida pela 3ª Vara Cível da Penha de São Paulo dava respaldo legal para a Lusa disputar a Série A do Brasileirão. Tal documento, no entanto, foi derrubado pela CBF no último sábado.