icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/07/2013
17:17

O nome de Kleber esteve em discussão nos bastidores de Santos e Grêmio nas últimas semanas. O clube paulista fez uma proposta de empréstimo para ter o jogador até o final do ano. O Gladiador teve uma reunião com Renato Gaúcho e o executivo Rui Costa para ouvir se estava nos planos. E optou por permanecer. A situação remete ao passado, quando o camisa 30 reconhece que esteve desmotivado por acreditar que não teria espaço no elenco de Vanderlei Luxemburgo.

- Sempre tive tranquilo, mesmo com a proposta do Santos. Nunca tive a pretensão de sair do Grêmio, minha vontade sempe foi ficar. Mas queria saber o que o Grêmio pensava. E sentei com o Rui, ele falou com o Renato, falei com o Renato, tivemos um papo legal, a intenção é que eu continue e querem que eu fique. E eu sempre pensei em ficar, lógico que o Santos queria uma situação que não era interessante, já vivi experiencia de sair emprestado e não era interessante. Não iria sair assim, dessa forma, para outro lugar. Foi o que eu conversei e deixei bem claro. Só sairia com o Grêmio ganhando também - explicou o Gladiador.

O atacante começou o ano recuperando-se de cirurgia no tornozelo esquerdo. Após a recuperação, porém, não sentia que era prestigiado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo. O treinador não passava a confiança que Kleber gostaria de receber - nem mudava o time após resultados negativos, conforme análise do jogador, o que desmotivou alguns atletas que estavam fora do time titular.

- Eu não tinha dúvida do Grêmio. Às vezes escutamos algumas coisas, e vai criando uma bola de neve, mas do Grêmio quase nunca tive dúvida. Meu problema era saber se o treinador que estava contava comigo, e eu não sentia isso em muitos momentos, e ficava desmotivado. É difícil ficar motivado achando que o treinador não conta com você. Não tenho nada contra, ele pode contar com quem achar melhor. Não cabe a mim. Mas queria ouvir do Rui e do Renato se tinha interesse da minha continuidade, e eles foram claros - explicou o atacante.

O nome de Kleber esteve em discussão nos bastidores de Santos e Grêmio nas últimas semanas. O clube paulista fez uma proposta de empréstimo para ter o jogador até o final do ano. O Gladiador teve uma reunião com Renato Gaúcho e o executivo Rui Costa para ouvir se estava nos planos. E optou por permanecer. A situação remete ao passado, quando o camisa 30 reconhece que esteve desmotivado por acreditar que não teria espaço no elenco de Vanderlei Luxemburgo.

- Sempre tive tranquilo, mesmo com a proposta do Santos. Nunca tive a pretensão de sair do Grêmio, minha vontade sempe foi ficar. Mas queria saber o que o Grêmio pensava. E sentei com o Rui, ele falou com o Renato, falei com o Renato, tivemos um papo legal, a intenção é que eu continue e querem que eu fique. E eu sempre pensei em ficar, lógico que o Santos queria uma situação que não era interessante, já vivi experiencia de sair emprestado e não era interessante. Não iria sair assim, dessa forma, para outro lugar. Foi o que eu conversei e deixei bem claro. Só sairia com o Grêmio ganhando também - explicou o Gladiador.

O atacante começou o ano recuperando-se de cirurgia no tornozelo esquerdo. Após a recuperação, porém, não sentia que era prestigiado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo. O treinador não passava a confiança que Kleber gostaria de receber - nem mudava o time após resultados negativos, conforme análise do jogador, o que desmotivou alguns atletas que estavam fora do time titular.

- Eu não tinha dúvida do Grêmio. Às vezes escutamos algumas coisas, e vai criando uma bola de neve, mas do Grêmio quase nunca tive dúvida. Meu problema era saber se o treinador que estava contava comigo, e eu não sentia isso em muitos momentos, e ficava desmotivado. É difícil ficar motivado achando que o treinador não conta com você. Não tenho nada contra, ele pode contar com quem achar melhor. Não cabe a mim. Mas queria ouvir do Rui e do Renato se tinha interesse da minha continuidade, e eles foram claros - explicou o atacante.