icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
16/06/2014
17:30

O São Paulo não está satisfeito com a postura da Roma (ITA) em relação ao zagueiro Rafael Toloi. Depois de ver os italianos perderem o prazo estabelecido para enviar a resposta se ficariam ou não com o beque, os tricolores agora mostram incômodo com a demora do clube em liberar a volta do atleta, que se apresentaria ainda em Orlando (EUA).

- Acho que no Brasil a gente pensa diferente da Europa. A gente, com o Pabon, que tinha contrato, liberou antes (o colombiano tinha contrato até o fim de junho e pôde se apresentar no Monterrey, do México). Ele tinha varios convites, não podíamos segurar o jogador. A gente tem dificuldade com a Roma por isso. Espero que se resolva isso. Se quer exercer a compra, beleza. Senão não segura até o fim do mês. Ele precisa treinar, trabalhar, mesmo que vá sair depois. Seria importante resolver esse problema - reclamou Muricy Ramalho.

Além de poder reforçar a defesa, setor muito criticado na primeira parte do Campeonato Brasileiro, o técnico vê na volta de Toloi um ponto positivo para o ambiente do elenco. Segundo Muricy, o zagueiro é muito querido pelos companheiros e se dedica ao São Paulo mesmo em situações adversas.

Muricy conta como foi a reapresentação do elenco nos EUA

- É um jogador que faz parte do elenco, que sabe o que penso. Em um momento ruim ano passado, com jogadores machucados e suspensos, ele jogou mesmo sem estar bem. Isso é muito importante. Ele é um cara importante para o elenco. Se ele voltar mesmo, usaremos - avisou.

A Roma tinha até o último domingo para avisar o São Paulo se ficaria com Toloi em definitivo ou não. Sem receber qualquer comunicado dos italianos, o gerente-executivo Gustavo Oliveira deixou claro que as negociações voltaram à estaca zero e que o Tricolor tentará a liberação do beque nos próximos dias para permitir a reintegração ainda nos Estados Unidos.