icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/07/2013
09:38

O dirigente máximo do Benfica, Luís Filipe Vieira, gostou do evento que aconteceu nesta sexta-feira no Estádio da Luz, a inauguração do Museu Cosme Damião. Porém o dirigente criticou duas ausências: Aníbal Cavaco Silva e Pedro Passos Coelho, presidente da república e primeiro-ministro, respectivamente.

- Este evento merecia a presença dos dois representantes do Estado português. Não sei se é estranho, só posso dizer que lamento, pois é um equipamento cultural, e não esportivo - criticou Vieira, lembrando que não é a primeira vez que eles "esnobam" o Encarnado, eles também não marcaram presença na final da Liga Europa em Amsterdã:

- Deve ter sido a primeira na história em Portugal que isso aconteceu. Mas não cabe a mim fazer juízos de valor, mas é evidente que lamento. Recebemos sempre bem quem nos visita e apenas podemos estranhar estas ausências em dois momentos tão significativos da vida do maior clube português.

Luís Filipe revelou ainda que pretende inaugurar em breve mais dois projetos: um centro de apoio às velhas glórias do clube, e um espaço dedicado a Eusébio, a ser feito ainda com o Pantera Negra em vida.

O dirigente máximo do Benfica, Luís Filipe Vieira, gostou do evento que aconteceu nesta sexta-feira no Estádio da Luz, a inauguração do Museu Cosme Damião. Porém o dirigente criticou duas ausências: Aníbal Cavaco Silva e Pedro Passos Coelho, presidente da república e primeiro-ministro, respectivamente.

- Este evento merecia a presença dos dois representantes do Estado português. Não sei se é estranho, só posso dizer que lamento, pois é um equipamento cultural, e não esportivo - criticou Vieira, lembrando que não é a primeira vez que eles "esnobam" o Encarnado, eles também não marcaram presença na final da Liga Europa em Amsterdã:

- Deve ter sido a primeira na história em Portugal que isso aconteceu. Mas não cabe a mim fazer juízos de valor, mas é evidente que lamento. Recebemos sempre bem quem nos visita e apenas podemos estranhar estas ausências em dois momentos tão significativos da vida do maior clube português.

Luís Filipe revelou ainda que pretende inaugurar em breve mais dois projetos: um centro de apoio às velhas glórias do clube, e um espaço dedicado a Eusébio, a ser feito ainda com o Pantera Negra em vida.