icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
19/11/2013
09:26

Na véspera da partida da França contra a Ucrânia, que vale a vaga para a Copa do Mundo, o técnico Didier Deschamps ainda tem a partida de ida na cabeça. E segundo ele, a derrota por 2 a 0 em Kiev ainda está bem quente na cabeça. Para o treinador dos Bleus, o tropeço foi quase que literalmente um duro golpe que a equipe tomou na repescagem das Eliminatórias Europeias.

- Tomamos um tapa na cara, mas temos uma possibilidade de virar, não interessa que seja pequena, média ou grande. Não é fácil, mas temos que começar a partida com muito ânimo - disse Didier Deschamps em entrevista coletiva prévia ao jogo:

- A qualidade técnica marca a diferença, mas se não tivermos compromisso, intensidade, então a qualidade técnica não se impõe. Temos que nos impor em todos os aspectos, em determinação, em vontade, em tudo.

O goleiro Lloris, do Tottenham e capitão da seleção, fez o mesmo discurso. Ele também usou o termo "tapa na cara", e pediu muita vontade do time, garantindo que o clima é bastante favorável para a virada.

- De certa forma temos de jogar com alguma loucura. Estamos motivados e queremos dar uma alegria ao povo francês, provando que temos qualidade. Com inteligência e coesão vamos ultrapassar este obstáculo - garantiu.