icons.title signature.placeholder Caio Carrieri e Felipe Bolguese
20/06/2014
19:30

A Alemanha começou a Copa de 2014 voando e goleou a seleção de Portugal por 4 a 0 na estreia. No entanto, comissão técnica e jogadores não querem um otimismo exagerado para o duelo deste sábado, contra Gana, às 16h, no Castelão, em Fortaleza. O passado que o diga. Em 2010, os germânicos iniciaram o Mundial da África do Sul com goleada por 4 a 0 sobre a Austrália e, na segunda rodada, foram surpreendidos em derrota por 1 a 0 para a Sérvia.

- Do ponto de vista psicológico, mesmo depois de uma boa partida na estreia, temos de continuar atentos. Nós já vimos isso em 2010. A Itália perdeu para a Costa Rica (nesta sexta-feira, por 1 a 0), a Holanda quase não conseguiu passar pela Austrália na segunda partida (os holandeses venceram por 3 a 2 após ficarem atrás do placar duas veze). Só uma vitória não basta. Nossa meta é reduzir a pressão e nos mantermos atentos - afirmou o técnico Joachim Löw.

Os alemães também usaram o exemplo da Eurocopa de 2008. Na ocasião, a equipe começou o torneio com vitória por 2 a 0 sobre a Polônia, mas depois perdeu por 1 a 0 para a Croácia na segunda rodada. A seleção chegou até a final diante da Espanha e acabou com o vice. Jogadores como Lahm, Mertesacker, Schweinsteiger, Podolski e Klose, que estão entre os 23 da Copa, fizeram parte daquele elenco.

- É algo da cabeça, de postura em campo. O torneio já mostrou que temos de estar preparados. Vimos isso em 2008 e 2010, quando ganhamos o primeiro jogo e o segundo, contra um oponente teoricamente mais fraco, perdemos. Estamos em alerta. Vamos entrar concentrados, Gana, como todas as seleções africana, tem jogadores atléticos, que possuem muita força e bom condicionamento físico. Temos de adotar uma tática diferente do que foi contra Portugal - disse o volante Sami Khedira.