icons.title signature.placeholder Bruno Quaresma e Marcio Porto
28/12/2013
07:03

Com dificuldades para contratar atacantes e com o setor ainda mais deficiente após a liberação de Aloísio, o São Paulo voltou a cogitar a permanência de Welliton, que está emprestado pelo Spartak Moscou (RUS) até a próxima terça-feira, dia 31. Os russos já haviam enviado o pedido para o jogador voltar, mas agora o Tricolor tenta uma última cartada.

Com a ajuda do empresário Eduardo Uram, representante do jogador, o Tricolor tenta uma maneira de convencer os russos a liberarem Welliton. O modelo que deve ser sugerido é uma parceria nos direitos econômicos do atleta.

O Spartak rescindiria o contrato de Welliton e seria feito um novo com o São Paulo, com duração de três anos. Em troca, os russos ficariam com a maior parte dos direitos econômicos, provavelmente 80%, para lucrar em uma eventual venda futura. Os clubes fixariam um valor mínimo que obrigaria o Tricolor a negociar o jogador.

Um novo empréstimo está descartado porque Welliton vai entrar em seu último ano de contrato na Rússia. O Tricolor também pensou em propor que o Spartak firmasse um novo vínculo com o jogador para reemprestá-lo, mas eles já fizeram isso com o Grêmio.

Welliton recebe cerca de R$ 400 mil pelo atual contrato, valor que é dividido entre São Paulo e Grêmio, metade para cada, e não está nos planos dos russos para 2014, sendo visto apenas como potencial fonte de receita em uma negociação.

O jogador já demonstrou interesse em permanecer no São Paulo e a comissão técnica pediu sua manutenção à diretoria. Apesar do pouco aproveitamento, fez apenas 19 jogos e marcou quatro gols, Welliton é visto com potencial para formar dupla com Luis Fabiano.

A proposta para os russos deve ser enviada antes do fim do ano, já que a reapresentação do São Paulo está marcada para o próximo dia 6.