icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
icons.title signature.placeholder Ivo Felipe
31/07/2013
13:41

O brasileiro Marcelo Chierighini, de 22 anos, avançou para a final dos 100m livre no Mundial de Esportes Aquáticos de Barcelona (ESP), nesta quarta-feira. Consistente em sua prova, ele ficou com a segunda colocação em sua bateria - e a terceiro melhor marca das semifinais.

- Tentarei nadar 47s na final, mas vou dar meu máximo. De manhã, não entrei com aquela agressividade na hora de voltar nos ultimos 50m. Passei bem mas faltou ser mais agressivo. Conversei com o meu técnico (o australiano Brett Hawke) e ele pediu isso - disse Marcelo.

À frente do brasileiro, apenas dois americanos: Nathan Adrian, atual campeão olímpico da distância, ficou com a melhor marca: 47s95. Em seguida, veio James Feigen, que completou a distância em 48s07.

No entanto, Marcelo desbancou o russo Vladimir Morozov e o australiano Magnunssen, que venceu esta mesma prova em Xangai-2011. Eles cravaram exatamente o mesmo tempo (48s20) e se classificaram na quarta colocação para a decisão.

Esta marca de 48s11 também representa o melhor tempo da carreira de Chierighini. Ele havia obtido exatamente este mesmo tempo em abril quando classificou-se para o Mundial, no Troféu Maria Lenk, disputado no Rio de Janeiro.

O brasileiro Marcelo Chierighini, de 22 anos, avançou para a final dos 100m livre no Mundial de Esportes Aquáticos de Barcelona (ESP), nesta quarta-feira. Consistente em sua prova, ele ficou com a segunda colocação em sua bateria - e a terceiro melhor marca das semifinais.

- Tentarei nadar 47s na final, mas vou dar meu máximo. De manhã, não entrei com aquela agressividade na hora de voltar nos ultimos 50m. Passei bem mas faltou ser mais agressivo. Conversei com o meu técnico (o australiano Brett Hawke) e ele pediu isso - disse Marcelo.

À frente do brasileiro, apenas dois americanos: Nathan Adrian, atual campeão olímpico da distância, ficou com a melhor marca: 47s95. Em seguida, veio James Feigen, que completou a distância em 48s07.

No entanto, Marcelo desbancou o russo Vladimir Morozov e o australiano Magnunssen, que venceu esta mesma prova em Xangai-2011. Eles cravaram exatamente o mesmo tempo (48s20) e se classificaram na quarta colocação para a decisão.

Esta marca de 48s11 também representa o melhor tempo da carreira de Chierighini. Ele havia obtido exatamente este mesmo tempo em abril quando classificou-se para o Mundial, no Troféu Maria Lenk, disputado no Rio de Janeiro.