icons.title signature.placeholder Guilherme Cardoso
14/03/2014
20:27

Não deu para Mauro Vinícius da Silva, o Duda. Menos de uma semana após o título mundial indoor no último sábado, em Sopot (POL), ele ficou na terceira colocação no salto em distância nos Jogos Sul-Americanos, em Santiago (CHI), nesta sexta-feira

Favorito à conquista continental, Duda teve um grande obstáculo pelo caminho: o panamenho Irwing Saladino. Campeão olímpico em 2008, ele ficou em primeiro ao saltar 8,16m. Vale lembrar que na Polônia, ele nem chegou às finais.

A segunda colocação ontem foi do uruguaio Emiliano Sanchez, com 7,94m. Já o brasileiro teve como melhor marca 7,88m. Ele conquistou o mundial com 8,28m.

- Duda é um excelente saltador. Ganhar dele agora dá uma moral muito boa. Hoje, fiz o que eu queria para o Mundial. O caminho é esse. Mas poderia ser melhor. Queria algo na faixa de 8,20m - afirmou o panamenho.

Enquanto isso, o brasileiro comentou o resultado.

- Não estava como de costume hoje. Até tinha velocidade, mas chegava na tábua sem a força necessária. Não sei realmente o que foi. Não sei se foi o cansaço - disse o campeão mundial indoor.

- Perdi duas noites de sono por causa das viagens de avião. Mexeu um pouco comigo - completou.

Essa é a segunda medalha do saltador brasileiro em Jogos Sul-Americanos, a primeira no salto em distância.

Pode parecer estranho, mas a primeira láurea de Duda veio na disputa de 2006, em Buenos Aires (ARG), no revezamento 4x100m.

O atleta começou a carreira como velocista. E na época, pouco antes de completar 20 anos, fez parte da equipe do revezamento nos Jogos Sul-Americanos. Na ocasião, ele disputava os 100m e 200m, e o atletismo fazia parte do Campeonato Sul-Americano Sub-23.

Além do atual saltador, o time brasileiro tinha André Nilson de Oliveira, Jorge Célio Sena e Bruno Lins. O quarteto completou a prova em 40s15 e ficou com a prata. O ouro foi do time da Venezuela, que marcou o tempo de 39s95.

*O repórter viaja a convite do COB