icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
02/04/2014
21:45

A torcida compareceu, fez um belo mosaico e jogou junto, mas mesmo assim o Botafogo foi derrotado pelo Unión Española (CHI), por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, no Maracanã, pela quinta rodada do Grupo 2 da Copa Libertadores. O gol de Canales, aos 26 do segundo tempo, nasceu de uma penalidade duvidosa assinalada pelo árbitro da partida, o uruguaio Mauricio Espinosa.

Com a derrota, o Glorioso perde a primeira colocação no grupo e vai ter que decidir a vaga para as oitavas de final fora de casa. Com sete pontos, os alvinegros precisam de um empate com o San Lorenzo (ARG), na próxima quarta-feira, em Buenos Aires, para garantir a classificação.

O Unión Española, líder com nove pontos, e que garantiu a sua classificação à próxima fase, volta a jogar também na próxima quarta-feira, em Santiago (CHI), diante do Independiente del Valle (EQU).

PRIMEIRO TEMPO

Animado pela grande festa da sua torcida e com uma camisa homenageando o ídolo Nilton Santos, o Botafogo iniciou a partida no Maracanã pressionando o time chileno no seu campo de defesa. No entanto, nos primeiros minutos, o time de Eduardo Hungaro, que teve as entradas de Lucas, Bolatti e Henrique nos lugares de Edilson, Gabriel e Ferreyra, suspensos, encontrava dificuldades para finalizar.


LEIA MAIS:
> Contra questões de salários e protestos, Hungaro pede foco e blindagem ao grupo
> Em derrota, Jefferson vê Botafogo bem, mas afirma que 'faltou o gol'

Apontado pelo treinador como um dos melhores passes do elenco, Bolatti, na primeira etapa, errou alguns passes importantes. Além disso, o argentino saía demais para o ataque, desguarnecendo o setor defensivo. No entanto, em poucas oportunidades os chilenos conseguiram se organizar ofensivamente. Na verdade, não levaram perigo ao gol de Jefferson.

Apesar de alguns erros de passes, Lodeiro foi uma das principais opções no meio-campo alvinegro. Foi dele também os chutes mais perigosos ao gol chileno. Marcelo Mattos, com a raça habitual e bons passes, foi outro destaque. A torcida, tão aclamada por jogadores e pelo técnico, confirmou o entrosamento com o time e deu um espetáculo em todo o tempo.

SEGUNDO TEMPO: PRESSÃO E FRUSTRAÇÃO

Os times voltaram sem alterações para o segundo tempo. Assim como na primeira etapa, os alvinegros foram com tudo para o ataque, mas, desta vez, levaram perigo para o goleiro Sanchez. Aos dois e aos seis minutos, Henrique perdeu ótimas oportunidades para abrir o placar. Em uma delas o atacante recebeu livre na área, mas chutou em cima do goleiro.

O tempo foi passando e a torcida, mesmo fazendo festa, começava a cobrar mudanças no time. Aos 20, Eduardo Hungaro atendeu aos pedidos, tirou Henrique e colocou Ronny. Sem ritmo de jogo, o atacante começou errando lances bobos.

E quando parecia que o Botafogo iria conseguir o primeiro gol, Jaime disputou a bola com Julio Cesar na área, caiu, e o árbitro marcou um pênalti duvidoso. Canales bateu bem e fez 1 a 0 para o Unión. Uma grande frustração para os alvinegros.

Com o tento, o time chileno passou a tocar a bola, irritando os alvinegros. A torcida, antes tão animada, foi perdendo o entusiasmo. Jorge Wagner e Lodeiro, duas das principais figuras do time, sumiram no momento importante. No fim, muito desespero, mas nada de produtivo foi criado.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 0 X 1 UNIÓN ESPAÑOLA

Local: Maracanã
Data/horário: Quarta-feira, às 19h45
Árbitro:  Daniel Fedorkzuc (URU)
Auxiliares: Mauricio Espionsa (URU) e Nicolas Taran (URU)
Gols: Canales, 26'/2ºT (0 a 1)

Cartões amarelos: Berardo (UNI), Julio Cesar, Marcelo Mattos (BOT)
Cartões vermelhos: -
Renda e público: R$ 1, 940.590/ 37.495 pagantes

Botafogo: Jefferson, Lucas, Bolívar, Dória e Julio Cesar (Renato, 46'/2ºT); Marcelo Mattos (Daniel, 32'/2ºT), Bolatti, Jorge Wagner e Lodeiro; Wallyson e Henrique (Ronny 20'/2ºT). Técnico: Eduardo Hungaro.

Unión Española: Sanchez, Currimilla, Ampuero, Berardo e Navarrete; Faravelli (36'/2º, Villagra), Pavez, Chávez (Diego Scotti 18'/2ºT), Jaime (Vidal, 36'/2ºT) e Campos; Canales. Técnico: José Luis Sierra.