icons.title signature.placeholder João Matheus Ferreira e Matheus Babo
20/02/2015
15:01

Ostentação é uma palavra que passa longe das Laranjeiras e de São Januário. Se Fluminense e Vasco se opõem politicamente, se igualam financeiramente. Pelo menos em 2015. Com poucos recursos para contratações, os dois clubes não gastaram um centavo com reforços para a temporada. E olha que não foram poucos. Enquanto o Tricolor trouxe sete jogadores, o Cruz-Maltino contratou nada menos que 16 atletas.

A explicação não é lá tão difícil. No lado do Flu, a saída da Unimed, parceira de longa data, fez o clube mudar a postura financeira. Nada de nomes renomados, apenas os "bons, bonitos e baratos". Pelo lado vascaíno, o presidente Eurico Miranda já havia anunciado, logo após a eleição, que 2015 seria um ano de reconstrução financeira. O objetivo é equacionar dívidas e pagar salário em dia para um elenco sem grandes nomes.

Neste cenário, os dois clubes perderam jogadores. Principalmente o Tricolor, que em um espaço de dois meses se desfez de Bruno, Carlinhos, Diguinho, Valencia, Cícero, Conca e Rafael Sobis. As manutenções de Jean, Wágner e Fred foram comemoradas pela diretoria, que também manteve o técnico Cristovão Borges.

O Vasco mudou praticamente o elenco inteiro. Saíram Diogo Silva, André Rocha, Carlos César, Diego Renan, Fabrício, Aranda, Pedro Ken, Douglas, Dakson, Guilherme Biteco, Lucas Crispim, Maxi Rodríguez, Kléber e Edmilson, além do técnico Joel Santana. Doriva veio para o seu lugar e ganha a metade do salário.

As mudanças também foram sentidas na diretoria. O Vasco mudou tudo, já que teve eleição no fim do ano. O diretor executivo de futebol, Rodrigo Caetano, saiu e, para o seu lugar, veio Paulo Angioni, que exercia o mesmo cargo no próprio Fluminense. Nas Laranjeiras, Fernando Simone, antigo diretor da base, assumiu. Solução caseira e mais barata para os dois, já que Angioni recebia cerca de R$ 150 mil no Flu e, hoje, ganha menos da metade em São Januário.

Uma saída para o baixo orçamento é apostar em jogadores da base. E os dois clubes vem fazendo isso. No Fluminense, jovens como Kenedy, Gerson, Marlon e Robert já são cobiçados por grandes clubes europeus. Além deles, o clube conta com nomes como Igor Julião, Rafinha, Luiz Fernando e Michael. Já o Vasco tem Jordi, Henrique, Lorran, Luan, Jomar, Jhon Cley, Jonatas Paulista, Guilherme Costa, Marquinhos do Sul, Yago e Thalles.

- Reforços do Fluminense para 2015: João Filipe, Victor Oliveira, Giovanni, Guilherme Santos, Marlone, Vinicius e Lucas Gomes. 

- Reforços do Vasco para 2015: Madson, Bruno Ferreira*, Aislan, Christianno, Erick Daltro, Serginho, Lucas, Victor Bolt, Jean Patrick, Julio dos Santos, Marcinho, Matheus Índio, Daniel Rozen, Erick Luís*, Romarinho e Mosquito.
*emprestados ao Bragantino.