São Paulo x Atlético-PR

No Morumbi, o Furacão do volante Otávio não costuma sair com bons resultados. (Gustavo Oliveira/Atlético-PR)

Guilherme Moreira
11/06/2016
08:15
Curitiba (PR)

Neste sábado, às 21h, o Atlético-PR encara o São Paulo no Estádio Morumbi, pela sétima rodada da Série A. O adversário e o palco do jogo são algozes do clube paranaense, que enfrenta um enorme jejum nesse cenário.

Desde 1983, o Furacão não vence o rival da casa paulista. O último triunfo aconteceu em 1983, por 1 a 0, gol de Assis e foi só apenas a segunda vitória no local - a outra aconteceu em 1976. De lá para cá, foram 17 jogos, com 12 vitórias tricolores e cinco empates.

Esse é o maior tabu da atual história rubro-negra. O segundo é com o Internacional, com uma diferença considerável de uma para outra: o time gaúcho não perde para o clube paranaense desde 2002 - uma diferença de 22 anos em relação ao São Paulo.

- Para nós não muda nada. Para a história, para a análise, para os torcedores, isso importa, mas para nós não. Você não pode entrar em campo com essa ideia e sim para ganhar o jogo. Era assim nas finais do Paranaense, sei lá a quanto tempo não se ganhava lá, não era campeão há muito tempo também. Seja qual for, são circunstancias feitas para serem quebradas - comentou o técnico Paulo Autuori, lembrando da conquista do título estadual deste ano diante do Coritiba, no Estádio Couto Pereira, que quebrou três jejuns de uma só vez.

Para tentar fazer esse feito no Morumbi, o comandante atleticano espera manter sua filosofia desde que assumiu o Atlético-PR. A equipe pretende ter a posse de bola, atuar em linha alta e ser fatal no último terço do campo, atuando com agressividade e, principalmente, marcando gol na hora que a chance aparecer.

- O clube quer um futebol condizente com a grandiosidade que tem e, por isso, vamos propor o jogo. Falo aqui em coragem e cobro sempre, você jogar sempre igual, onde for. Esse é o objetivo, não se apequenar. Temos que ser mais cirúrgicos na hora de definir porque, em todos os jogos, tivemos oportunidades para isso - complementou.

A equipe, apesar de Autuori "deixar em aberto", não deve ter alterações. O volante Deivid, que sentiu um desconforto na semana, se recuperou e será mantido no time. Já o ala Eduardo, que volta de suspensão, não deve retornar ao time titular, com Léo mantendo a posição. A dúvida é somente no ataque, entre Walter e André Lima.

O Furacão deve ir a campo com: Weverton; Léo, Wanderson, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Deivid e Vinícius; Ewandro, Nikão e Walter (André Lima).